Maricá também vai dar uma “mordida” nos royalties

1

O Poço de Tupi, que se encontra na camada petrolífera do pré-sal e é um dos mais promissores da Bacia de Santos, entrará em produção comercial até o fim deste mês. A capacidade estimada é de cinco bilhões de barris, e a produção, de 100 mil barris de óleo por mês. Com a extração comercial, Maricá será beneficiada com os royalties da produção direta, passando a receber, a partir de dezembro, cerca de R$ 20 milhões mensais, visto estar o Poço de Tupi à distância de poucas milhas em frente a Jaconé, litoral de Maricá.

A declaração sobre a produção do Poço de Tupi foi feita pelo presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, durante a inauguração de novas unidades da Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos, São Paulo. Ainda em maio deste ano, a companhia iniciou a prospecção experimental de petróleo e gás na Bacia de Santos. “Os royalties serão aplicados conforme prescreve a legislação, em infraestrutura e desenvolvimento para o município, atendendo áreas básicas, como saneamento e habitação, por exemplo”, explicou o prefeito Washington Quaquá.

Pólo naval

Em estado de comemoração, Quaquá declara que Maricá está crescendo ano a ano. “Temos de prepará-la para o futuro, atendendo gradualmente à sua demanda. Com os royalties, virão os investimentos em turismo, hotelaria, transportes e outros, complementando a geração de emprego e renda”, destaca, sem esquecer dos investimentos nos ensinos técnico e profissionalizante, além de universidades. O prefeito de Maricá afirma que a exploração comercial do Poço de Tupi fortalecerá, economicamente, o município. “Além, é claro, de ampliar a demanda de investimentos do Polo Industrial Naval, da logística, através do Arco Metropolitano que ligará 20 municípios, e do Polo Aeroviário, extensão do Aeroporto de Maricá, com heliportos e oficinas, a ser implantado brevemente”, declarou.

Com as informações – O Dia

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta