Rapidinhas do Portal

0

Vamo que vamo, toda máquina à vante. Petróleo para tudo quanto é lado. Petrobrás na Angola, BG em Tupi, Iracema e Guará e a Ecopetrol na Colômbia. Como todo bom marítimo, deixo uma nota sobre Manaus que, com uma fila de navios, deve estar em polvorosa. O Rêmulus que o diga… Saudações para os colegas “abençoados” da linha Coari x Manaus. Quem é marítimo sabe direitinho porque essa linha é tão “abençoada”. Essas rapidinhas estão ficando cada vez mais demoradas…

BR descobre petróleo de alta qualidade em Angola – A Petrobras anunciou na tarde de ontem que descobriu petróleo de alta qualidade no litoral de Angola, a 470 metros de profundidade no poço Cabaça Sudeste-2, que faz parte do Bloco 15/06 e está distante 100 km da costa. Segundo a empresa, essa é a segunda descoberta no bloco. As avaliações iniciais indicam óleo com densidade de 34º API e com vazão de aproximadamente 7 mil barris/dia. A petrolífera brasileira tem 5% de participação no consórcio do bloco, do qual a ENI é operadora com 35%. Também integram o consórcio Sonangol Pesquisa e Produção (15%), SSI Fifteen Limited (20%), Total (15%), Falcon Oil Holding Angola SA (5%), e a Statoil Angola Block 15/06 Award SA (5%). Em julho, a estatal anunciou a descoberta de petróleo no mesmo bloco. O óleo foi encontrado durante a perfuração do poço Cabaça Sudeste-1, localizado a uma profundidade de 470 metros e a 100 km da costa. De acordo com nota da Petrobras na época, as avaliações iniciais indicam a existência de pelo menos 500 milhões de barris de petróleo de alta qualidade no local.

BG anuncia mais reservas no Pré-sal – A petrolífera britânica BG divulgou nesta terça-feira um comunicado no qual revê para cima as estimativas de reservas de petróleo para os campos de Tupi, Iracema e Guará. A nova estimativa é de 10,8 bilhões de barris de óleo equivalente (inclui óleo e gás), 34% sobre a estimativa média anterior de 8,1 bilhões de barris para os três campos. A BG tem 25% de Tupi, ao lado de Petrobras (65%) e a petrolífera portuguesa Galp (10%). Em Guará, a BG tem 30%, junto com Petrobras (45%) e Repsol (25%). Com isso, a parte das reservas que caberiam a BG são da ordem de 2,8 bilhões. A BG contratou a empresa de consultoria Miller e Lents Ltda (MLL) para fornecer uma avaliação independente das estimativas de recursos nos campos Tupi, Iracema e Guará. Na semana passada, a Petrobras e a Galp Energia afirmaram nesta sexta-feira que o nono poço exploratório em águas ultraprofundas da bacia de Santos confirmou o potencial de reservas de petróleo leve de Tupi entre 5 e 8 bilhões de barris de óleo equivalente . A Petrobras já havia afirmado em 6 de outubro que o oitavo poço perfurado havia reforçado a certeza com o volume da megarreserva. Segundo a Petrobras, operadora do consórcio que explora Tupi, o resultado da perfuração do nono poço “foi extremamente relevante, pois definiu, entre outras coisas, o nível de contato óleo/água no prospecto, que indicou a maior espessura de rocha com óleo para essa área entre as possibilidades estudadas”.

Colômbia também tem petróleo – A Empresa Colombiana de Petróleos (Ecopetrol) confirmou nesta terça-feira a presença de petróleo na perfuração do poço do Mago 1, localizado no departamento de Meta (sudeste), o qual compartilha a metades com a Shell Exploration and Production Colombia. Um comunicado da empresa de capital misto assinalou que completou com sucesso a perfuração do poço de Mago 1, dentro do contrato de prospecção e produção. O poço foi perfurado verticalmente e alcançou uma profundidade de 3,3 mil pés, pouco mais de um quilômetro. Ecopetrol é o operador e possui 50% da operação nesse contrato e os demais 50% pertence à empresa Shell Exploration and Production Colombia. Ecopetrol é a maior companhia da Colômbia e uma das quatro principais da América Latina.

Fila de navios em Manaus – No terceiro dia de paralisação de parte das áreas do Porto Chibatão (Colônia Oliveira Machado, zona Sul de Manaus), 875 carretas estacionadas sobre 25 balsas estão fundeadas na margem esquerda do rio Negro em frente ao terminal, aguardando a decisão judicial que permita a retomada das operações de embarque e desembarque de mercadorias no local. As informações são do vice-presidente do Grupo Chibatão, Jean Bergson de Oliveira. As balsas com carretas levariam ainda mercadorias de Manaus para Belém e Porto Velho e, de lá, para o resto do País. Além destas, o navio CMA-CGM Laurita, também aguarda desde sexta-feira (29) para desembarcar 444 contêineres com insumos para as indústrias do Pólo Industrial de Manaus e embarcar mercadorias produzidas no PIM. Outro navio de cabotagem brasileiro, atracado no Chibatão, realizou o desembarque de mercadorias no terminal vizinho – a empresa Super Terminais. De acordo ainda com Bergson de Oliveira, um terceiro navio de longo curso chegou ainda ontem (1º de novembro) à tarde, com 470 contêineres com insumos e mercadorias importadas que abasteceria o mercado e a indústria local.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta