Finalmente o primeiro óleo em Gjøa, no Mar do Norte

0

O Campo petrolífero de Gjøa, desenvolvido pela Statoil, começou a produção exatamente às 15:24 do dia 7 de novembro, abrindo o caminho para uma maior atividade na parte norte da Noruega no Mar do Norte.

“Prevemos que as instalações podem fazer neste campo um “hub” para a evolução nesta área”, disse Øystein Michelsen, Vice-Presidente Executivo de Exploração e Produção da Statoil na Noruega.

Øystein Michelsen

O campo satélite de Vega também se deve entrar em operação em um futuro próximo. Operado pela Statoil, que foi desenvolvido com instalações submarinas conectadas à Gjøa.

Localização de Gjøa

O petróleo e o gás estão garantidos para a produção de Gjøa por pelo menos 15 anos para vir “, disse Michelsen.” Entretanto, temos visto que os avanços da tecnologia e os meios de recuperação de petróleo têm evoluído constantemente, o que pode aumentar esta previsão”.

“Também há vagas para quem queria fazer o desenvolvimento na área, uma vez que toda a estrutura do campo e da infra-estrutura associada foi projetada para uma vida de produção de pelo menos 30 anos.”

O trabalho no Campo de Gjøa foi extenso e cansativo para a Satatoil, observou o diretor do projeto Kjetil Digre.

“Quase 20 milhões de horas de trabalho foram gastas neste projeto. Agora estou muito satisfeito que a produção esteja finalmente em andamento.”

Gjøa recebeu este nome que antes era do navio usado pelo explorador polar norueguês Roald Amundsen, um navegador que sempre teve uma visão para o desenvolvimento baseado no seguinte: “Com base na História, construímos o futuro”.

Roald Amundsen – 1872 – 1928

O projeto foi implementado em consonância com o slogan do explorador norueguês Roald Amundsen: “Baseados na História, construímos o futuro”, disse Digre. “Nós temos tomado cuidado muito bem da nossa experiência histórica de acontecimentos anteriores”.

“Ao mesmo tempo, criatividade e prevenção têm sido importantes para as complexas decisões que tive que tomar ao longo do caminho. Isso é, ensinando-nos novas lições.”

A plataforma Gjøa é a primeira no mundo a receber sua energia de terra. A eletricidade é transmitida através de um cabo de 100 quilômetros de Mongstad, ao norte de Bergen, conforme informado pelo Portal Marítimo em sua interessantíssima matéria publicada no dia 22 de setembro.

Isso reduz as emissões de carbono no campo cerca de 210 mil toneladas por ano. É apenas a segunda instalação offshore na Noruega a ser alimentada dessa forma, após Troll A, plataforma fantástica, sobre a qual já fizemos uma matéria aqui no Portal Marítimo.

O projeto demonstrou que a indústria norueguesa é competitiva, tendo empresas locais responsáveis por 70% do projeto.

Campo de Vega e Gjøa interligados

O trabalho na fabricação da plataforma e sua infra-estrutura associada começou em 2007. Custando cerca de 40 bilhões de Coroas Norueguesas (NOK), o Projeto de Gjøa/Vega foi concluído dentro do cronograma.

“Este é um investimento rentável, tanto para os licenciados como  para a Noruega”, enfatizou Digre.

Conheça o Campo de Gjøa, na Noruega.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta