Já está terminando a dragagem em Mucuripe

0

Uma das primeiras etapas da dragagem do Porto do Mucuripe já está muito próxima de ser concluída. O novo canal de acesso ao cais já está aberto e a dragagem desta parte do trabalho será concluída até o fim da semana. O caminho criado para as embarcações que atracam na costa da Capital será mais curto que o antigo em aproximadamente 1,5 km. Com isso, deve facilitar a manobra dos navios, com tempo de atracação em cerca de 30 minutos.

No caso do Porto do Mucuripe, além desse trabalho de aprofundamento, um novo canal de acesso às embarcações teve de ser aberto.

De acordo com o supervisor operacional da Bandeirantes (empresa contratada para reallizar a dragagem), Rodrigo Rezende, o caminho antigo dificultava a manobra dos navios por ser longo e exigir maior tempo. “A draga Seaway cortou um banco de areia e encurtou o acesso ao Porto do Mucuripe, o que diminui o número de manobras dos navios, otimiza tempo, como também os custos”, explica o supervisor de operações.

O novo canal de acesso terá extensão de 3,5 km, 120 metros de largura e 14 metros de profundidade. “Para finalizar a dragagem do novo canal, ainda faltam cerca 70 mil m², que representa mais ou menos um dia de trabalho da draga Seaway”, afirma o supervisor de operações.

Após o término da dragagem, a sinalização do novo canal de acesso deve ser realizada através de boias.

A dragagem do Porto do Mucuripe, que envolve investimentos de R$ 54,6 milhões, irá dotar o equipamento de infraestrutura para receber navios de grande porte por, no mínimo, 50 anos. A obra deve ampliar em até 30% a capacidade de movimentação nos do terminal portuário da capital cearense.

A maior profundidade para atracação de navios vai expandir o número de linhas que passarão pelo Mucuripe.

A adequação do Porto do Mucuripe e dos demais terminais marítimos brasileiros – decorre menos de sua participação no comércio exterior e mais, sobretudo, do novo padrão de infraestrutura e tecnologia exigida pela configuração logística deste comércio, que primam pela eficácia do sistema.

Com o canal aberto, o trabalho de aprofundamento do Porto do Mucuripe deve prosseguir até o dia 10 de janeiro, tendo sido iniciado em 1º de outubro.

Os atuais 11 metros de profundidade do equipamento da costa fortalezense, será ampliado para 14 metros.

O trabalho de retirada dos sedimentos do fundo do mar está divido em três áreas, que compreendem o píer petroleiro, a chamada bacia de evolução (mais próxima à Praia Mansa) e o cais do porto.

A dragagem deve retirar do mar até a sua conclusão 5,95 milhões de metros cúbicos de sedimentos , em uma área equivalente a 2,5 milhões de m² ou 250 campos de futebol. Desse total, cerca de 50% já foi concluído da obra.

De acordo com o comandante brasileiro da draga Seaway, Sérgio Abreu, o trabalho tem ocorrido sem maiores imprevistos.

A embarcação que faz o trabalho na costa cearense pertence à empresa holandesa Royal Boskalis, que presta serviço para a Bandeirantes, vencedora da licitação do terminal cearense.

“Para os holandeses, que tem experiência nesse tipo de trabalho já que vêm dos chamados Países Baixos, a dragagem no litoral de Fortaleza não representou nenhuma dificuldade. Tudo vem ocorrendo dentro da normalidade”, revela o comandante da embarcação.

O material retirado no Porto do Mucuripe é transportado e despejado há uma distância de 8,5km da sua origem, nas imediações da Barra do Ceará, em área autorizada pelos órgãos de meio ambiente e pelo Governo do Estado. A dragagem vem para garantir que os portos nacionais persigam a excelência na sua operação, agregando valor e reduzindo custos no comércio exterior.

Para ler esta matéria na íntegra, acesse o Diário do Nordeste

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta