Subsea 7 pede anuência para píer em Paranaguá

0

Representantes da empresa Subsea 7 reuniram-se, na manhã desta quarta-feira (10), com o  prefeito de Paranaguá, José Baka Filho, para solicitar  anuência do poder público para as instalações da empresa.

A empresa está construindo uma base de soldagem de tubos rígidos para prospecção de petróleo e de gás no município de Pontal do Paraná, mas parte das instalações ficará em águas do território de Paranaguá.

Em outubro, foram realizadas duas audiências públicas para apresentação do relatório de impacto ambiental do empreendimento em Praia de Leste (Pontal do Paraná) e Ilha do Mel (Paranaguá).

“A gente vai seguir o que for necessário e buscar a anuência da Prefeitura de Paranaguá”, anunciou José Augusto Fernandes, diretor da Subsea 7, que na estava acompanhado da consultora de Relações Públicas da empresa, Tereza Cristina Mello.

O prefeito mostrou dois mapas aos representantes, um sobre a área de zoneamento portuário e outro do Plano Diretor. E reforçou a necessidade de anuência do município.

“O píer para atracação de navios que a empresa estará nas águas de Paranaguá e por isso temos que dar a anuência, conforme a legislação”, confirmou Baka, que explicou ainda a necessidade de pareceres tanto da Secretaria Municipal de Meio Ambiente como a de Urbanismo.

Durante audiência pública realizada na Ilha do Mel, no dia 27 de outubro, representantes da Prefeitura de Paranaguá fizeram a proposta de parcerias para a Subsea 7. Está definido que a empresa vai realizar o treinamento de mão-de-obra em Paranaguá, numa parceria com o Senai.

A Subsea 7 fará soldagem de tubos rígidos para prospecção de petróleo e de gás. Cada tubo mede 12 metros cada e depois é unido até formar o que os técnicos chamam de “macarrão”, num total de 1.300 metros. O material é transportado a um navio, cujo píer de 700 metros será instalado em frente ao empreendimento, sendo cada “macarrão” soldado até atingir uma extensão de 40 quilômetros. Depois, seguirá para plataformas de exploração do petróleo da camada pré-sal, em mar aberto.

Os tubos virão de caminhão até Antonina, de onde serão transportados até Pontal do Paraná de barcaça, passando pela baía de Paranaguá.

Com as informações – Correio do Litoral

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta