Eike corre para os poços de petróleo e gás do Maranhão

1

A busca da OGX por petróleo e gás na Bacia do Parnaíba (terrestre), no Maranhão, será ampliada. A empresa solicitou à Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Sema) a inclusão de oito municípios nas atividades de pesquisa sísmica, ao mesmo tempo em que requereu a unificação de licenças prévias e de instalação já obtidas para a realização desse trabalho.

Os novos municípios em que a OGX pretende realizar pesquisa sísmica na Bacia do Parnaíba são Brejo de Areia, Jenipapo dos Vieiras, Lago Verde, Olho d’Água das Cunhãs, Pio XII, Lagoa Grande do Maranhão, Santa Inês e Satubinha.

No documento entregue à Sema, a OGX Petróleo e Gás solicitou ainda a transferência da titularidade da licença de pesquisa sísmica correspondente aos sete blocos que possui na bacia para a OGX Maranhão Petróleo e Gás.

As atividades da OGX na Bacia do Parnaíba se concentram ainda nos municípios de Capinzal do Norte, onde foi confirmada uma grande reserva de gás natural, Santo Antonio dos Lopes, Barra do Corda, Itaipava do Grajaú, São Roberto, São Raimundo do Doca Bezerra, Esperantinópolis, Joselândia, São José dos Basílios, Santa Filomena do Maranhão, Presidente Dutra, Dom Pedro, Tuntum, Lago da Pedra, Lago do Junco, São Luís Gonzaga, Lago dos Rodrigues, Trizidela do Vale, Bernardo do Mearim, Igarapé Grande e Poção de Pedras.

A perfuração do primeiro poço na bacia ocorreu em julho e já em agosto foi anunciada a presença de gás natural. A reserva em Capinzal do Norte é estimada de 10 a 15 trilhões de pés cúbicos, o que torna o Maranhão potencialmente um dos maiores produtores de gás no mundo. Se confirmada a expectativa, o volume corresponderá a quase metade das reservas de gás da Bolívia, que somam aproximadamente 19 trilhões de pés cúbicos. Diante dessa projeção, a OGX intensificou os investimentos na região, com perspectiva de encontrar, também, petróleo.

A estimativa é de que os investimentos da OGX na campanha exploratória na região sejam de R$ 600 milhões a R$ 700 milhões.

A OGX também já está se preparando para realizar campanha exploratória na Bacia Pará-Maranhão (marítima), onde a empresa tem direitos de concessão sobre cinco blocos. As atividades deverão ser iniciadas de dezembro deste ano a janeiro de 2011.

Ocean Scepter - pronta para os desafios no Maranhão

A plataforma Ocean Sceptor com capacidade para perfurar poços de 11 mil metros de profundidade, em lâmina d’água máxima de até 100 metros, já se encontra fundeada em águas maranhenses.

Com as informações – Imirante.com

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Eu também faço parte deste grande projeto do eike batista.Vou trabalhar em busca desse petróleo e espero que tenhamos susesso.

    Funcionário da Ocean Scepter/BRASDRIL

Deixe uma resposta