Comitiva Brasileira visita Dinamarca para troca de experiências

0

A delegação brasileira, composta por representantes de diversos setores marítimos – Armadores, Autoridades Marítimas e  Sindicatos – está visitando a Dinamarca durante esta semana. Semana passada, a Associação dos Armadores Dinamarqueses organizou uma mesa redonda.

O objetivo da mesa redonda foi, além da troca de conhecimentos sobre seus sistemas marítimos, dar à Delegação Brasileira informações a respeito do porquê do sucesso da Dinamarca no domínio marítimo. Especialmente as condições tributárias do sistema dinamarquês e a estreita cooperação entre autoridades públicas e empresas privadas.

Tanto os Armadores como os Representantes Sindicais estavam muito interessados em saber mais sobre as condições de enquadramento tributário dinamarquesas, principalmente sobre o Imposto sobre a tonelagem da Dinamarca, a tributação das Empresas marítimas dinamarquesas e os níveis salariais praticados.

Delegação Brasileira reunida com autoridades na Dinamarca

O Brasil não tem um Registo Internacional de Navios ou Imposto sobre Tonelagem. Os empresários brasileiros do setor marítimo pagam o imposto cheio, fato que, segundo os armadores, é a grande razão da dificuldade para a competitividade brasileira, fazendo com que a atividade precise de subsídios.

A frota mercante brasileira foi muito grande até a desregulamentação em 1990, o que significa que a frota, que já não era muito competitiva, já que o modelo tributário brasileiro é bem antigo, foi em grande parte destruída. Hoje, a frota mercante brasileira está em reconstrução, com um foco especial sobre o rápido crescimento do setor offshore. Já há uma série de medidas protecionistas no setor, que garantem a geração de empregos e retenção de dividendos no país.

Além de mesa-redonda,a delegação brasileira cumprirá um programa de quatro dias, incluindo umaa série de visitas, incluindo a DMA (Danish Maritime Authority), AP Moller – Maersk, da Estação Naval Korsør e Force Technology (consultoria).

A visita da Delegação Brasileira na Dinamarca é organizado pela Associação dos Armadores Dinamarqueses, DMA e SOK (Søværnets Operative Kommando – Marinha Dinamarquesa).

Søværnet

Fica claro que o problema maior não são as Leis que protegem nossa bandeira e nossos marítimos, mas sim a alta carga tributária em cima dos Armadores, tecla na qual venho batendo há meses.

Gostaria de agradecer pelas informações cedidas pela bela

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta