Petrobras voltará a converter navio em plataforma no país depois de 10 anos

1

A Petrobras pretende lançar, no início do ano que vem, a licitação para a construção dos módulos de produção do campo de Siri, na bacia de Campos. A ideia, segundo o gerente executivo de engenharia da estatal, Pedro Barusco, é que a fase inicial da plataforma P-64 seja feita no estaleiro Inhaúma, situado na zona portuário do Rio. O estaleiro, abandonado há anos, será recuperado pela petrolífera.

O executivo explicou que já foi pedida a licença para a operação do estaleiro, e os trâmites burocráticos estão em andamento. No princípio do ano que vem, deverá ser iniciada a reforma do dique do estaleiro, que começará a receber os primeiros materiais para que tenha condições de operar novamente.

A última conversão de um navio para que possa operar também como plataforma de petróleo foi feita há dez anos, na obra da P-48. Desde então, a Petrobras fazia essa adaptação no exterior.

Com isso, o conteúdo nacional (volume de equipamentos e serviços produzidos no Brasil) da P-64 deverá ser ainda maior, chegando perto de 80% do total da plataforma. Atualmente, a exigência mínima é que 65% seja feito no país. Segundo a Petrobras, esse índice vem alcançando 75% em algumas unidades.

“Com o avanço de nossa indústria, fazer uma plataforma no Brasil já custa quase o mesmo do que no exterior. Já estamos alcançando preços semelhantes”, afirmou Barusco, ressaltando que os custos caem à medida em que a indústria ganha escala. Ele participa do 7º Encontro Nacional do Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo), em Porto Alegre.

Barusco comentou ainda que as propostas para a construção de até 28 sondas de exploração deverão ser abertas nos próximos dias. A encomenda pode chegar a até US$ 28 bilhões, segundo projeções do mercado.

Clipping direto – Portal AZ

Por Marcus Lotfi

1 COMENTÁRIO

  1. Construir uma plaraforma no Brasil já custa QUASE o mesmo que no exterior.
    Isto é um EMBUSTE para subsidiar a ineficiente indústria nacional e dar guarida aos argumentos interesseiros de Lula. A Petrobras é uma empresa e deve encomendar suas plataformas onde os custos forem menores e a qualidade melhor.

Deixe uma resposta