Pecém tira onda e aumenta em 68% sua movimentação

0

Com um crescimento de 68% no acumulado entre janeiro e outubro de 2010, o que representa 2,4 milhões de toneladas movimentadas, o Porto do Pecém se mantém entre os principais portos brasileiros.

De acordo com Mário Lima Júnior, diretor de Desenvolvimento Comercial da Ceará Portos, responsável pelo Porto do Pecém, o aumento na movimentação de alguns ítens foram responsáveis pelo impulso registrado. Entre estes, ele destaca o aumento significativo na importação de gás natural que se destina a abastecer as termoelétricas do Ceará e Rio Grande do Norte e que cresceu de 288,6 mil toneladas em 2009 para 492,2 mil toneladas em 2010.

Mário também ressalta a importação dos produtos siderúrgicos para o Pecém, os quais lideraram as importações, com 735 mil toneladas movimentadas.

Também foi divulgado pelo porto um acréscimo de 82% na movimentação de longo curso e uma variação positiva para a cabotagem, de 33% frente às mesmas operações do porto nos 10 primeiros meses de 2009.

Na exportação, os produtos com destaque foram frutas (180 mil toneladas), minérios de ferro (73 mil toneladas), alumínio (25 mil toneladas), combustíveis minerais (22 mil) e calçados (14 mil). Outro crescimento foi a movimentação de contêineres: 26% para importação e 28% para exportações.

Ranking nacional

Em nota, o Pecém também divulgou dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, os quais afirmam a liderança nacional do porto em exportação de frutas e calçados.

Do todo movimentado no Brasil, o porto cearense foi responsável por 32% das frutas. No mesmo quesito, ele foi seguido pelos portos de Santos (15%) e Mucuripe (13%).

Nos calçados, o Pecém foi líder com 33% do montante movimentado nos portos brasileiros, seguido pelos portos do Rio Grande (32%), Santos (18%) e Mucuripe (8%).

Os dados do Mdic divulgados também apontaram o Pecém como o terceiro porto brasileiro na importação de produtos siderúrgicos, com 17% do movimentado no país, atrás dos portos de São Francisco do Sul (22%) e Santos (18%).

Com as informações – Diário do Nordeste

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta