Rapidinhas! Não posso ficar nem mais um minuto com vocês…

0

Vai dizer que vocês não estavam com saudades? Adoniran deve estar feliz de onde estiver, pois a Petrobras está gerando dividendos até na “Terra da Garoa”. Etanolduto finalmente sai do papel na em Sampa. Marinha disponibiliza mais um Navio Hospital para os ribeirinhos no Amazonas. Peroba vai meter o pé mesmo do Equador e Chemtech abre vagas para diversas funções em seus projetos no pré-sal. Depois de uma bela de uma Auditoria da ANP aqui na Plataforma, eu mereço um descanso… Matando as saudades, “Vamo que vamo” com as Rapidinhas!

Mais um Navio Hospital para a Amazônia – A Marinha recebeu nesta terça-feira, em Manaus, mais um Navio de Assistência Hospitalar (NasH). O navio Soares de Meirelles atenderá à população ribeirinha da Amazônia e contribuirá com atividades da Defesa Civil – em caso de operações humanitárias e catástrofes naturais – além de assistência médica e odontológica. A embarcação foi adquirida pela Marinha do Brasil em agosto de 2010. O objetivo é ampliar a capacidade de atendimento médico e odontológico às populações ribeirinhas em parceria com o Ministério da Saúde; secretarias estaduais de Saúde do Acre, Amazonas, Pará, de Roraima, Rondônia e do Amapá, além das secretarias municipais de Saúde. A tripulação do navio será composta por 44 militares.

Peroba vai meter o pé do Equador – O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou ontem que a companhia divulgará até amanhã uma posição sobre o encerramento ou não de suas operações no Equador. Em uma rápida declaração sobre o assunto, Gabrielli disse que o anúncio deverá ser feito, provavelmente, pela companhia em Buenos Aires. A empresa já teria notificado o Ministério de Recursos Naturais Não-Renováveis de que iria deixar o país. O Equador confirmou na noite desta terça-feira o fim de cinco contratos de exploração de petróleo, incluindo dois com a Petrobras, ao concluir o processo de renegociação com as multinacionais.

Etanolduto saiu do papel – A Petrobras e a empresa Camargo Correa iniciaram, nesta terça, a construção do Sistema Integrado de Transporte de Etanol. O primeiro trecho do chamado Etanolduto vai ligar Ribeirão Preto a Paulínia, em São Paulo. O projeto, que tem investimentos de R$ 5 bilhões, é pioneiro no país e, depois de pronto, vai atravessar 45 municípios, ligando as principais regiões produtores de etanol nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, à Refinaria de Paulínia (Replan), em São Paulo. De acordo com a Petrobras, o sistema integrado vai se estender, em uma segunda fase, por uma malha de dutos até Barueri e Guarulhos, na grande São Paulo, e Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. O presidente da PMCC (empresa responsável pelo Etanolduto, composta pela Petrobras e a Camargo Correa), Alberto Guimarães, adiantou que a expectativa quando o sistema entrar em funcionamento é de que haja uma redução no preço do etanol, pois a indústria terá capacidade de transferir parte de sua economia para o mercado consumidor.

Chemtech abre vagas – Esta é a sua grande oportunidade de fazer parte da história do desenvolvimento sócio-econômico do país, trabalhando em projetos que envolvem a maior descoberta dos últimos anos. A Chemtech, empresa brasileira de engenharia e TI do grupo Siemens, está com mais de 200 vagas em aberto para projetos de exploração da camada do pré-sal, com a realização de diversos projetos na área de óleo e gás. Veja os perfis das vagas em aberto: Formação acadêmica: Profissionais com experiência em projetos da área offshore, recém-formados, estagiários, técnicos, projetistas, e desenhistas. Disciplinas: Processos, Instrumentação, Automação, Elétrica, Mecânica/ Equipamentos/ HVAC, Layout/ Arranjo de plataformas offshore, Segurança de Processos, Tubulação. Cadastre já seu currículo na seção “Trabalhe Conosco” do nosso site www.chemtech.com.br. E para ficar por dentro de tudo o que acontece na Chemtech, acompanhe a empresa no Twitter, Orkut, Facebook, Linkedin e Youtube.

E além disso mulher… tem outras coisas….

Por Rodrigo Cintra


Deixe uma resposta