Náufragos sobrevivem à base de carne de gaivota e água de chuva

0

Três adolescentes das ilhas de Tokelau (Nova Zelândia), no Pacífico Sul, resgatados “milagrosamente” depois de passar 61 dias perdidos em alto mar, sobreviveram bebendo água da chuva e comendo carne de gaivota, relataram nesta sexta-feira os marinheiros que os salvaram.

Seu resgate, por tripulantes de um barco pesqueiro, após dois meses à deriva e no momento em um ciclone se formava na região, foi anunciado na quinta-feira.

Tokelau, um ponto isolado da Polinésia, é um arquipélago formado por três atóis tropicais em uma superfície de 10 quilômetros quadrados.

Os três adolescentes, de idades entre 14 e 15 anos, chegaram nesta sexta às ilhas Fiji, a 1.420 km de onde partiram. Tai Fredricsen, um dos marinheiros do San Nikunau, disse que os rapazes não teriam sobrevivido por muito mais tempo. Os três náufragos, enfraquecidos, mas em bom estado de saúde, acabaram bebendo água do mar quando a chuva parou, segundo Fredricsen.

Sua odisséia, que começou nos primeiros dias de outubro, durou 61 dias, indicou o chefe da Marinha de Fiji, almirante Francis Kean.

“É um milagre, um milagre”, declarou emocionado Tanu Filo, o pai de um dos jovens, Filo Filo, 15 anos.

“Todos os habitantes da aldeia, todos estavam muito alegres, choravam, cantavam, se abraçavam. Todos gritaram”, disse Tanu Filo.

Filo Filo e os amigos Samuel Pérez, 15 anos, e Edward Nasau, 14 anos, foram dados por desaparecidos no início de outubro, quando entraram no mar em uma pequena embarcação de alumínio.

As buscas já haviam sido encerradas e os três eram considerados mortos.

Fredricsen, que estava na proa do barco, avistou os três adolescentes na quarta-feira.

“Foi um milagre ter encontrado com eles. Aproximei o barco o máximo que pude e lhes perguntei se precisavam de ajuda. Eles responderam ‘sim, muito’. Estavam felizes por nos ver”, contou.

“Estavam muito fracos, mas relativamente saudáveis, se você pensar pelo que passaram. Tinham alguns cocos em seu barco, mas nada de água. Não sei como conseguiram caçar um pássaro. E o comeram. Fizeram bem”.

“Eles sofreram uma desidratação severa, e como se pode ver não conseguem ficar de pé, estão muito debilitados. É ainda muito cedo para que comam algo sólido, seus organismos estão rejeitando os alimentos. Dou graças a Deus por tê-los salvado”, disse o marinheiro.

Com as informações – AFP

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta