Thomas Lamb palestra sobre Indústria Naval na Furg

0

O Cidec-Sul da Furg sediou, o 2º Workshop em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (WTSul), promovido no âmbito da Rede de Inovação para a Competitividade da Indústria Naval e Offshore – Ricino.

A Furg sedia o Núcleo Regional (RS) da Ricino, sob a coordenação do reitor em exercício, professor Ernesto Luiz Casares Pinto. Apresentar o plano de ação do Núcleo, discutir as oportunidades da indústria naval brasileira e apontar os “gargalos” tecnológicos deste setor, foram os principais objetivos da reunião, que teve aproximadamente 200 participantes, vindos de várias regiões do Rio Grande do Sul e estados da Federação. Foi conferencista o professor da Universidade de Michigan (EUA) Thomas Lamb, considerado a maior autoridade mundial em arquitetura naval e engenharia marinha.

Entre as diversas considerações feitas, Lamb assegurou que o Brasil não terá infraestrutura para atender, sozinho, as demandas de navios, plataformas e embarcações, nos próximos anos, da Petrobras e Transpetro. Ele entende que a maior parte dos equipamentos a ser utilizada nessas construções virá do exterior. O professor vê com cuidado o desenvolvimento da indústria naval em nível mundial, considerando a China e a Coreia os maiores atores neste mercado. Na abertura do evento, o reitor em exercício, Ernesto Pinto, e a professora da Furg Silvia da Costa Botelho apresentaram o Plano de Ações Estratégicas do Núcleo Regional (RS) da Ricino.

Para o reitor em exercício, a Ricino visa o movimento, a integração e a interação entre empresas, instituições de ensino e pesquisa, governos ou associações, com o objetivo de gerar tecnologia e inovação ao Brasil, na busca da competitividade internacional, com sustentabilidade.  A última atividade do 2º WTSul foi o painel “Indústria Naval e Offshore: Política Industrial e Tecnológica”. Participaram com a coordenação do professor Ernesto Casares Pinto, o engenheiro do Departamento de Gás e Petróleo do BNDES Rogério Boeira, sobre Perspectivas do BNDES frente aos desafios do setor naval e offshore).

Também participaram deste painel o representante do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Carlos Macedo, que abordou a Política Industrial Naval; o representante da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) Jorge Boeira, falando sobre Catálogo Navipeças; e os representantes das empresas QUIP, Wlaudyr Negri, aos quais coube abordar os Gargalos Tecnológicos da P-63, e da Engevix, Celso Parisi, que discorreu sobre os Gargalos Tecnológicos da Fábrica de Cascos FPSO.

Com as informações – Jornal Agora

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta