Nautical Institute define seu ETA no Brasil – Janeiro de 2011

1

O Instituto Náutico de Londres (IN), instituição internacional voltada para o aprimoramento profissional marítimo, estuda a possibilidade de abrir uma filial no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, em 2011. Será a primeira unidade na América do Sul. Entre os treinamentos que o IN possui, estão o gerenciamento de navios e o credenciamento de competência para as operações de controle para posicionamento dinâmico de embarcações offshore.

“O país vai ganhar muito com a instalação do IN, já que o futuro da marinha mercante está diretamente ligado à educação e à tecnologia. E é justamente nestas áreas que o instituto se destaca e é onde mais tem contribuído de forma intensa e ao longo de várias décadas. A transferência de conhecimento e o acesso às informações técnicas e específicas do setor serão importantes para o engrandecimento da marinha mercante do Brasil”, avalia o gerente de qualidade da Flumar Transporte de Químicos e Gases Ltda., o comandante Vinicius Madruga.

O instituto conta com 33 membros brasileiros e o comandante Vinicius Madruga é o primeiro  brasileiro a compor o Conselho Diretivo do IN. O conselho é composto por 60 membros com direito a voto, dos quais pelo menos a metade tem que estar obrigatoriamente desenvolvendo atividades profissionais no mar. As responsabilidades do conselho incluem definir planos corporativos, analisar e criticar o desempenho dos diversos comitês existentes, avaliar o progresso das atividades, definir as políticas a serem adotadas, aprovar as auditorias financeiras, além de definir as bases e padrões a serem adotados internacionalmente pelo IN.

O comandante Madruga destaca que as negociações estão avançadas para a instalação da filial do IN, próximo a entidades como o Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante (Sindmar), onde fica um dos mais modernos simuladores de manobras marítimas do mundo, o Centro de Simulação Aquaviária (CSA), e também da Universidade Corporativa da Marinha Mercante (UCM). Ele cita que uma das dificuldades é conseguir patrocínio, além de ser preciso aumentar a base de associados brasileiros no IN. Para isso, o comandante afirma que é preciso que o setor conheça os benefícios da entidade.

“O IN destaca-se mundialmente no fornecimento de suporte técnico ao desenvolvimento de novas tecnologias de apoio à navegação e tem presença ativa na Organização Marítima Mundial (IMO). Uma outra área de destaque inigualável do Instituto Náutico é na edição, publicação e distribuição de livros técnico-profissionais, os quais são tradicionalmente reconhecidos por seu elevado nível técnico e de precisão”, enfatiza Madruga.

O instituto é formado por profissionais da indústria marítima internacional e possui mais de 40 sucursais ao redor do mundo, somando mais de sete mil membros espalhados em mais de 110 países. Madruga destaca que o foco da instituição é totalmente dedicado a melhorar os padrões de segurança e eficiência praticados a bordo, assim como também manter o Instituto Náutico reconhecido como um Centro Náutico de Excelência. “As publicações e livros periodicamente editados pelo IN são instrumentos que oferecem reais soluções para os problemas específicos da indústria marítima internacional e servem de sólida referência para os tomadores de decisão”, ressalta Madruga.

Com as informações – PN

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Na verdade, o braço brasileiro do NI já existe, participamos da fundação em 2009 no RJ. O Captain Madruga estava lá presente também, entre outros colegas comandantes, práticos e oficiais de náutica. Agora existe a possibilidade do NI estabelece-se fisicamente por aqui.

    O valor da anuidade não é alto e você tem direito a um bom desconto nas publicações do NI. Eu sou membro e recomendo.

    http://www.nautinst.org/

Deixe uma resposta