Transporte de valor agregado cresce na Cabotagem, segundo a Mercosul Line

0

O crescimento da navegação de cabotagem vem sendo sentido por todo o mercado de navegação como um dos movimentos mais positivos de todo o cenário nacional. A Mercosul Line, um dos grandes players desse segmento, comentou que diversas áreas de negócio ainda podem migrar para a cabotagem, tais como móveis, automobilístico, calçados, brinquedos e outros. “A tendência é que haja o incremento do volume destes segmentos no modal”, disse o gerente nacional de vendas, Paulo T. Gomes.

Ele contou que a estratégia tem sido de ligar o Sul e o Norte do Brasil, através dos Portos de Paranaguá (PR), Santos (SP), Suape (PE) e de Manaus (AM). Os principais produtos transportados tem sido do segmento de indústria eletroeletrônica, duas rodas, termoplástica, alimentação, bebidas, material de higiene e limpeza, materiais de construção, entre outros. A companhia ainda não investe na contêineirização de produtos agrícola, mas o gerente nacional de vendas da Mercosul Line acredita que é um mercado interessante, “apesar da provável falta de espaço para suprir um segmento tão abrangente”, comentou.

Para Gomes, é comum o transporte de produtos de alto valor agregado em navios. “Há casos em que as cargas chegam a ultrapassar R$ 1 milhão e está cada vez mais freqüente estas cargas migrarem devido à segurança que a cabotagem oferece”, comentou. No mês de maio, pelo 7º. ano consecutivo, a Mercosul Line recebeu o Certificado de Qualidade Assegurada ao produto Distribuição Manaus/Brasil/Marítimo da Semp Toshiba, um de seus maiores clientes.

Sobre a impressão entre os usuários de que a oferta para transporte de contêineres para cabotagem é pequena no Brasil, o executivo afirmou que as empresas hoje em operação de contêiner na cabotagem têm feito um grande esforço para suprir toda a demanda e todas têm grandes planos de investimento nesta área. Mas Gomes ressaltou que ainda é necessária uma maior divulgação e conscientização dos benefícios do modal.

Sobre as vantagens cabotagem em relação ao modal rodoviário em termos de preço, Gomes acredita que devido a existência de diversas rotas com diferentes resultados é difícil dar uma diagnóstico. “Mas, é possível chegar a, pelo menos, 15 % de redução em comparação com o modal rodoviário”, relatou.

Fundada há quase uma década, em 1999, a Mercosul Line opera atualmente com dois navios, o Mercosul Manaus e o Mercosul De Liefde, em freqüência quinzenal, ligando os portos de Paranaguá (PR) e Manaus (AM). Desde fevereiro de 2005, a Mercosul Line faz parte do A.P. Moller – Maersk Group. A sede da Mercosul Line está localizada em São Paulo e a empresa mantém escritórios próprios em outras cidades, como Paranaguá, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza e Manaus.

Com as informações – Wendel Martins, do site NetMarinha

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta