Dragagem no Porto de Itaguaí é concluída

0

As obras de aprofundamento do canal de acesso ao terminal portuário de Itaguaí, iniciadas em agosto deste ano, foram concluídas no final de novembro. Duas dragas, de origem belga, participaram do processo de retirada de cerca de 5 milhões de metros cúbicos de sedimentos. Com esta obra, a profundidade do Porto de Itaguaí passará dos atuais 14,5 metros para 17,5 metros, possibilitando reduzir em um terço o tempo de atracação. Esta é mais uma obra da Secretaria de Portos (SEP) da Presidência da República prevista no Programa Nacional de Dragagem (PND) e faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O tempo previsto para conclusão das obras no Porto de Itaguaí baixou de dez para quase quatro meses, devido à potência das duas dragas contratadas pela Dragabrás – responsável pela obra. Esta dragagem corresponde à continuação da execução do aprofundamento do canal, iniciada em 2009.

A estimativa é que o Porto de Itaguaí – que atualmente movimenta cerca de 300 mil TEUs por ano (1 TEU equivale a um contêiner de seis metros de comprimento) – aumente em até 50% a sua capacidade.

Monitoramento Ambiental – O trabalho de dragagem do Porto de Itaguaí é monitorado por um Programa de Gerenciamento Ambiental que avaliou o grau de interferência da obra no ambiente e deu apoio às ações de controle, monitoramento e prevenção dos impactos ambientais gerados pelo empreendimento. Este trabalho é realizado pela Coppe/UFRJ, por meio do Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais (IVIG).

De acordo com o Programa de Monitoramento, as coletas de água foram realizadas semanalmente e analisados pH, salinidade, temperatura, turbidez,  transparência e sólidos suspensos totais. A coleta também foi feita na área de bota-fora, local definido pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para o despejo dos sedimentos. Essa área fica a 28 km do local da dragagem.

O gerenciamento contemplou ainda um Programa de Educação Ambiental, no qual foi feita uma sensibilização ambiental com os tripulantes estrangeiros das dragas, e operadores privados do porto. No total, cerca de seiscentas pessoas passaram pelo programa.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta