Investimentos em Infraestrutura garantem o crescimento do Brasil

0
O Governo Federal apresentou 0 Balanço de 4 Anos do Programa de Aceleração do Crescimento – o PAC, em Brasília, comemorando o resultado de 82% de execução, dentro dos projetos propostos até o final de 2010. Na prestação de contas do final de seu Governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva registrou os avanços recordes na infraestrutura de transportes e tratou de listar as razões para o que chamou de “fase excepcional”, com o advento do PAC: “Nós tínhamos um objetivo, tínhamos determinação, tínhamos decisão política de governo, tínhamos a convicção de que era possível juntar uma harmonização entre o poder do Estado, o poder do empresariado e o poder dos entes federados, e o sucesso está aí”.

“Eu ouso dizer que, possivelmente, somente a China, no mundo, hoje, tenha a quantidade de obras em andamento que tem o Brasil”, continuou Lula. Nas contas do Comitê Gestor do PAC, os investimentos públicos dobraram entre 2007 e 2010, passando de 1,62% do PIB, em 2006, para 3,27% do PIB nos 12 meses encerrados em outubro deste ano.

Os empreendimentos concluídos no âmbito do PAC alcançarão R$ 444 bilhões até o fim de dezembro de 2010. O valor representa 82% dos R$ 541,8 bilhões previstos para serem concluídos no período 2007-2010.

No setor de transportes, os números também são “milagrosos”, como definiu o presidente: até dezembro, o PAC concluirá 6.377 quilômetros de rodovias e outros 909 quilômetros de ferrovias. Toda a área de logística foi responsável por investimentos que totalizarão R$ 65,4 bilhões, no final deste mês, somando ações em rodovias, indústria naval, ferrovias, portos, hidrovias e aeroportos. Somente o Fundo da Marinha Mercante garantiu financiamento de 301 embarcações e cinco estaleiros, ao custo total de R$ 17 bilhões.

Do eixo de logística, 85% das ações foram concluídas, pelo critério de quantidade, com outros 10% e obras, 2% em licitação e 3% em fase de projetos ou licenciamento.

Rodovias

Além das obras concluídas, na malha rodoviária, o Governo anunciou outros resultados, como os 1.592 quilômetros de rodovias federais que estão em estágio de duplicação, para além dos 1.306 quilômetros já duplicados, destacando o trecho concluído da BR-101, no Rio Grande do Sul, entre Osório e a divisa com Santa Catarina. O Balanço ainda lista os 3.524 quilômetros de estradas em pavimentação, com destaque para as obras da BR-163, no Pará.

O Governo Federal destaca ainda os investimentos em recuperação da malha rodoviária. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) fechará 2010 com 53.652 quilômetros da malha sob contrato de manutenção. Desses, são 17.639 quilômetros de rodovias que receberam as intervenções do programa Crema, com restauração da pista e manutenção asseguradas. Ao final de dezembro, serão 53,9 mil quilômetros de extensão, com trabalhos de sinalização, concluídos.

Ferrovias

Os resultados do programa de expansão da malha ferroviária são orgulho do presidente Lula: “Não acredito que exista no mundo, hoje – talvez com exceção da China, um país que esteja fazendo quase 6 mil quilômetros de ferrovia como nós vamos fazer,” indagou.

O Governo concluíra 909 quilômetros de ferrovias até o final do ano. Com obras em andamento, são outros 3.757, com destaque para o início das obras do trecho entre Anápolis (GO) e Estrela D-Oeste (SP), com 670 quilômetros, anunciadas pelo presidente Lula.

Na Transnordestina, ligando Eliseu Martins (PI) a Salgueiro (PE) e, conseguinte, aos portos de Pecém (CE) e Suape (PE), são outros 1.801 quilômetros em execução. Neste mês, o governo lançará as obras de construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, ligando o novo porto de Ilhéus (BA) à Ferrovia Norte-Sul, na altura de Figueirópolis (TO), sendo que a primeira fase de obras contemplará todo o Estado da Bahia.

Hidrovias

No setor hidroviário, o PAC fecha o governo com a conclusão das Eclusas de Tucuruí, obra almejada por cerca de 30 anos, desde que a construção da Hidrelétrica de Tucuruí interrompeu a navegação naquela altura do rio Tocantins, no Pará.

O PAC já soma 10 terminais hidroviários concluídos, na região Amazônica, e prepara a licitação para as obras de derrocagem do rio Tocantins.

Indústria Naval

O programa de financiamento do Fundo da Marinha Mercante fechará o ano com 107 projetos concluídos, além de outros 96 em construção e 103 contratados. O Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante garantiu prioridade para outros 155 projetos. A previsão de investimentos é de R$ 17 bilhões já contratados. Outros R$ 13,6 bilhões, em projetos já aprovados, aguardam contratação.

Com as informações – Ministério dos Transportes

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta