Porto de Itapoá abre suas portas para o mundo

2

De uma idéia surgida há 18 anos, o Porto Itapoá tornou-se realidade a partir de sua inauguração, nesta quarta-feira, dia 22 de dezembro de 2010.  Mais novo empreendimento do setor portuário do Sul do Brasil, o Porto Itapoá é um terminal privativo de uso misto para a movimentação de contêineres. Tem como acionistas a Portinvest Participações (Grupo Battistella e LOGZ Logística Brasil S.A.) e a Aliança Navegação e Logística (Grupo Hamburg Süd).

Hildo Battistella

“A concretização deste sonho foi graças ao espírito empreendedor dos acionistas e investidores, à dedicação de centenas de profissionais e ao apoio da sociedade e dos governos municipal, estadual e federal, que abraçaram o projeto, antevendo as possibilidades de desenvolvimento para a região e para o país”, afirma o presidente do Conselho de Administração Sr. Hildo Battistella.

O Porto Itapoá terá grande abrangência regional e no mercado do Mercosul, que permitirá intensificar o atendimento tanto do transporte de longo curso quanto da cabotagem, ligando o Sul com o restante da costa brasileira, funcionando como um porto concentrador que possibilitará operações de grandes navios que poderão ser utilizados em plena carga – graças à profundidade natural – para atender o comércio exterior brasileiro, notadamente de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Além disso, será um porto de conexão para os complexos portuários do Uruguai e Argentina.

Cais de Itapoá em fase final de construção

Os números dão uma dimensão deste empreendimento. Investimentos de R$ 475 milhões, sendo R$ 145 milhões dos sócios e complementado pelo financiamento de R$ 330 milhões da FUNCEF (Fundação dos Economiários Federais) e da PETROS (Fundação Petrobrás de Seguridade Social), na modalidade Project Finance com prazo de 10 anos, tornaram realidade uma estrutura que compreende uma ponte de acesso com 230 metros de comprimento, um cais de 630 metros de extensão, pátio com área de 136 mil metros quadrados – com expansão para 500 mil metros quadrados nos próximos anos (Fase II) –, 9 mil metros quadrados de edificações administrativas e de apoio.  A excelência faz parte do projeto desde o início das obras de implantação. A obra realizada pela Construtora Andrade Gutierrez conta com três certificações: ISO 9000 (Qualidade), ISO 14000 (Meio Ambiente) e OHSAS 18000 (Segurança e Saúde).

Projeto final prevê 600 mil contêineres por ano

Inicialmente, o Porto Itapoá está preparado para movimentar 350 mil contêineres/ano. Após o término das ampliações (Fase II), terá capacidade para 600 mil contêineres/ano ou 1 milhão de TEUs/ano. Com localização geográfica estratégica, com profundidade natural de 16 metros  e águas calmas da Baía da Babitonga, o terminal é  adequado para receber navios de grande porte (com capacidade para 9 mil TEUs) já na primeira fase, funcionando como um hub-port, um porto concentrador de cargas que possibilitará o atendimento tanto de transporte de longo curso como de cabotagem.

Navio da ZPMC chega a Itapoá com os novos portêineres

Um dos marcos da fase final de instalação do Porto foi a chegada, no início de novembro, dos dois navios da fabricante chinesa ZPMC (ver matéria no Portal Marítimo), com o carregamento dos 15 equipamentos, acompanhada com grande expectativa pelos profissionais do Porto Itapoá e pela comunidade. A tecnologia empregada nesses equipamentos une o que há de mais moderno no segmento portuário, proporcionando performance, economia de energia elétrica, óleo diesel e diminuindo o impacto ambiental.

Exemplos de caminhões TT - Terminal Tractor

Os demais equipamentos vieram em agosto dos Estados Unidos e da Europa. Os 26 caminhões (TT – Terminal Tractor), de última geração, são utilizados para transferência de contêineres do cais para o pátio e vice-versa, com capacidade de carga de até 60 toneladas.

Reach Stacker em operação

Mais duas empilhadeiras de grande porte (RS – Reach Stacker), com capacidade de carga de 45 toneladas que são utilizadas para movimentar  e armazenar contêineres cheios, com até seis posições de contêineres de altura. E ainda, três empilhadeiras (ECH – Empty Container Handler), que movimentam contêineres vazios e empilham até  sete posições de altura HC (High-Cube).

Empilhadeira Empty Container Handler em operação

Crescimento sustentável

O empreendimento insere-se num cenário de desenvolvimento de Itapoá e região. No recém-realizado Censo 2010, Itapoá foi destaque como o município que apresentou o maior crescimento de domicílios ocupados do Brasil, empatado com outras duas cidades e superando em 40% as estimativas do IBGE. A cidade é campeã isolada em crescimento populacional no Norte de Santa Catarina, com aumento de 60,9% em uma década, enquanto toda a região teve um crescimento de 16,38%.

Benfeitorias públicas

A estrutura do Porto Itapoá com cais de atracação dos situado a 230 metros da beira da praia, permitirá que a população continue utilizando a Praia do Pontal da Figueira, que receberá melhorias e urbanização.

Praia do Pontal da Figueira durante o dia

O projeto de urbanização da Praia inclui muro de arrimo para contenção de erosão, calçamento, bancos, ajardinamento e iluminação, além da adequação da linha de costa, ampliando a faixa de areia. A via à beira-mar, passando sob a ponte de acesso ao cais, foi pavimentada ao longo do trecho do Porto com espaço também para o trânsito de ciclistas e pedestres. Um sistema de bombeamento foi instalado para escoamento da água, em caso de acúmulo devido a chuvas anormais e ressaca.

Pôr do Sol no Pontal da Figueira

“O mesmo muro de arrimo contorna a figueira que dá nome ao local para preservá-la e protegê-la. A ponte de serviço utilizada durante as obras será reformada e adequada para a atracação de pequenas embarcações, de atendimento emergencial, de vistorias e serviços. Receberá deque e cobertura que servirá como ponto turístico de observação e de lazer”, informa o diretor superintendente, Gabriel Ribeiro Vieira.

Gabriel Ribeiro Vieira no cais de Itapoá

Além disso, o Porto já construiu no local um ponto de ônibus com instalações sanitárias públicas e adequará o antigo Centro de Visitação para o recebimento de uma capela.

Tráfego de veículos pesados do Porto terá acesso próprio

A construção e pavimentação da via de acesso entre o trevo do Barreiro (ligação com a rodovia SC-415) e o Porto, passando pela Estrada Municipal José Alves (Estrada da Jaca) e ligando com a orla, através da Rua 2.850, exigirá investimentos custeados pelo Porto Itapoá de R$ 16 milhões e permitirá direcionar o tráfego de veículos pesados ao Porto sem conflitar com o tráfego urbano. Esta obra, quando finalizada, será doada ao Governo Municipal e terá 7,6 km de extensão,  com alargamento da estrada existente , passando dos 8 metros de largura atuais para 16,5 metros, incluindo duas pistas de rolagem, acostamentos e calçadas.

Outros R$ 7,6 milhões estão sendo investidos pelo Porto e contempla uma linha de transmissão em alta tensão de 138 KV, ligando o trevo do Barreiro ao terminal portuário, o que garantirá o suprimento de energia adequada para o funcionamento do empreendimento.

Porto Itapoá em números

Investimentos: R$ 475 milhões (total)

– Equipamentos – R$ 90 milhões

– Obras de acesso da Estrada da Jaca – R$ 16 milhões

– Subestação de alta tensão de 138 kV – R$ 7 milhões

– Linha de Transmissão de Energia – R$ 6,5 milhões

– Tecnologia e Sistemas – R$ 10 milhões

– Obras civis e infraestrutura – R$ 220 milhões

Cais: 630 metros de comprimento e 43 de largura

Profundidade natural: 16 metros

Berços de atracação: 2  para navios Post-Panamax de até 300 metros de comprimento, com capacidade de carga de 9.000 TEUs cada embarcação.

Ponte de acesso: 230 metros

Retroárea: 136 mil m²

Área administrativa e edificações de apoio: 9 mil m²

Gates de acesso: 6

Tomadas reefers: 1380

Equipamentos:

– 4 STS (Ship to Shore) / Portêineres

– 11 RTGs (Rubber Tired Gantry) / Transtêineres

– 26 TT (Terminal Tractors)

– 5 empilhadeiras de grande porte (2 RS – Reach Stacker e 3 ECH – Empty Container Handler)

Total de colaboradores: Cerca de 500 em 2011 (Fase I)

Por Redação Portal Marítimo

2 COMENTÁRIOS

  1. Indiscutivelmente é um empreeendimento que trará enormes benefícios para a região e todo o comércio dos países do cone sul. Apenas a título de sugestão, seria muito interessante que se fizesse constar do blog o que o empreendimento proporcionará em termos de geração de empregos, e que tipos de mão-de-obra serão mais demandados.

Deixe uma resposta