Rapidinhas da tarde. Verão chegou, minha gente!

0

Rapidinhas no clima de Verão. Wartsilä pega mais um contrato com a Petrobras, EBX divulga uma empolgante previsãio de vagas de empregos para o Superporto do Açu e Maersk compra ativos na Terra Brasilis. Na Nigéria, pasmem: precisa-se de mais de 40000 marítimos. Vamo que vamo que o Verão chegou, tá um calor “porreta” aqui no Rio de Janeiro e o Papai Noel tá chegando amanhã.

Wärtsilä assina com a Petrobras – A Wärtsilä, líder global em soluções energéticas para mercados marítimos e de geração de energia, assinou contrato com a Petrobras Macaé (UO-BC) para manutenção dos motores Wärtsilä das plataformas P-08; P-47 e P-65. O acordo terá a duração de três anos, e atenderá aos 14 motores Wärtsilä instalados nestas unidades, totalizando 96 cilindros e potencia instalada de 26.220 KW.

EBX libera projeção de empregos no Açu – Nas projeções atuais, o grupo EBX prevê que os empregos gerados no Complexo Logístico-industrial do Açu serão conforme a tabela abaixo, nas fases de implantação e operação dos empreendimentos. Na prática, em outos casos, previsões como esta, sempre se mostraram superestimadas. No caso do Açu há que se conferir:

Realmente animador

Maersk compra ativos no Brasil – O grupo dinamarquês A.P. Moeller-Maersk informou nesta quinta-feira que pagará 2,4 bilhões de dólares pela parte brasileira da empresa sul-coreana SK Energy. A companhia explicou que o negócio lhe dará acesso às promissoras reservas de petróleo brasileiras, vistas como algumas das maiores e mais importantes do mundo nos próximos anos. O acordo inclui as reservas de Polvo, Wahoo e Itaipu, das quais a Maersk possuirá 40%, 20% e 27%, respectivamente. Para a Maersk, a compra reforça a posição do país como “uma das regiões mais atraentes para a exploração e produção de petróleo”. A reserva de Polvo já está ativa, enquanto as de Wahoo e Itaipu devem começar a produzir em 2016 e 2018.

Nigéria precisa de 40000 marítimos urgente – Os Operadores do setor marítimo têm elogiado o Presidente Goodluck Jonathan por criar um programa nacional com investimentos de N$ 50 bilhões (N$ significa Naira, a moeda local), cerca de US$ 327 milhões desvendar um esquema Nacional de Criação de Emprego. Eles insistiram com o Presidente para ele injetar parte do fundo para a indústria marítima. O país, disseram os Operadores, tem a necessidade urgente de mais de 40.000 marítimos para os navios de cabotagem que operam. Eles pediram ao Presidente para investir em Recursos Humanos e na estrutura local para suporte ao setor marítimo. O Presidente, segundo eles, deve assegurar que os jovens serão devidamente treinados e qualificados para ocupar estes postos de trabalho.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta