LLX revisa contrato com a Anglo American no Superporto do Açu

0

A LLX Logística informou na noite desta terça-feira (28) que sua subsidiária LLX Minas-Rio e a Anglo American concluíram as negociações envolvendo os contratos comerciais e operacionais que regulam a movimentação do minério de ferro no Superporto do Açu.

De acordo com a companhia, foi firmado um contrato de longo prazo “take-or-pay” pelo qual a Anglo American deverá pagar uma tarifa de US$ 7,10 por tonelada de minério embarcada no terminal do Superporto Açu. O contrato, segundo a LLX, tem prazo de 25 anos, sendo que a taxa cobrada da Anglo American passará por reajuste anual de dois terços do PPI (índice de preços ao produtor norte-americano).

“A obrigação take-or-pay começa no primeiro embarque de minério de ferro pelo Superporto e se tal embarque não tiver ocorrido até 1º de julho de 2013, a Anglo American estará obrigada a arcar com a totalidade do serviço da dívida sênior incorrida com os contratos de financiamento da LLX MR. A Anglo American estará sujeita às obrigações de take-or-pay independentemente dos embarques de minério de ferro a partir de 1º de julho de 2014”, explicou a LLX em nota.

A LLX informou ainda que o pagamento será determinado mensalmente, tendo como base o volume anual de 26,5 milhões de toneladas, o que deverá gerar uma receita anual de US$ 190 milhões para a LLX MR.

Investimentos limitados

O contrato firmado entre as partes também prevê que os investimentos da LLX MR ficarão limitados a US$ 510 milhões, correspondentes ao montante já desembolsado pela empresa neste empreendimento. Além disso, a Anglo American contribuirá com recursos adicionais de cerca de US$ 1,3 bilhão. A companhia também revelou que os custos adicionais que excederem o montante do projeto, de US$ 2,27 bilhões, serão divididos igualmente entre a LLX MR e a AA.

“Os acordos revisados também asseguram a LLX MR a opção de participar da expansão do terminal de minério de ferro. De acordo com esta opção, caso a LLX MR decida participar na expansão do empreendimento, a AA deverá remunerar o investimento através de um pagamento de uma tarifa por capacidade que garantirá para a LLX MR uma taxa de retorno de 15% a.a. ao longo de período de 25 anos, sujeita a alguns ajustes”, completou a LLX.

Com as informações – Anderson Figo / InfoMoney

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta