Para aprender na prática, pilotos de micro submarinos passarão quatro dias no mar

1

Na próxima sexta-feira, dia 14 de janeiro, quatro alunos já formados como pilotos de micro ROV (Remotely Operated Vehicle – submarinos de observação à distância do fundo do mar, operados por controle remoto) embarcarão em uma expedição em alto mar. Eles passarão quatro dias a bordo de uma embarcação cedida pela escola, que sairá de Santos (SP), para aprenderem na prática sobre navegação e segurança no mar, enquanto realizam missões reais com os micro submarinos. A expedição faz parte do curso Piloto Avançado de Micro ROV, a última etapa da qualificação de pilotos de micro robôs submarinos, promovida pelo Núcleo de Tecnologia Marinha e Ambiental (NUTECMAR).

Durante a expedição, a primeira turma do curso avançado irá vivenciar missões reais da rotina de um piloto profissional. Eles realizarão tarefas como inspeção de cascos de embarcações, estruturas de cais e de tubulações, reconhecimento de navios naufragados e de animais marinhos, além de apoio a mergulhadores em pesquisas científicas. Os pilotos poderão monitorar e ditar os movimentos dos ROVs que estarão no fundo do mar, através das câmeras e sensores dos mini submarinos, enquanto os operam à distância, por controle remoto, de dentro da embarcação.

Um dos sócios-diretores do NUTECMAR, Eduardo Meurer, explica que esta fase é a mais importante do treinamento, por contar com fatores e dificuldades reais, que serão encontrados na futura profissão. “Muito antes de estar apto a dirigir uma carreta, que exige treinamento específico, o motorista precisa desenvolver primeiro a habilidade em um carro de passeio comum. Acreditamos que com os ROVs não deveria ser diferente. Por isso, os alunos avançam gradativamente”, compara.

Segundo Meurer, outra vantagem da fase final da capacitação é o ganho de destreza no manuseio do robô. “Lidarão com situações que vivenciaram durante as fases anteriores, e por isso terão que colocar em prática as técnicas adquiridas. Além disso, exercitarão o raciocínio, pois passarão por situações inesperadas, como as que ocorrem no cotidiano de quem trabalha no mar”, ressalta.

Micro ROVs – Os ROVs são mini submarinos não-tripulados de observação à distância do fundo do mar, equipados com câmeras de vídeo e sensores. Eles são operados por controle remoto. Em terra firme ou dentro de uma embarcação, o piloto vê por onde o robô submarino passa, através das imagens geradas pelo ROV, que são transmitidas em tempo real em um monitor de TV.

Os micro submarinos são importantes por serem pequenos e proporcionarem movimentos perfeitos ao navegarem pelo fundo do mar, podendo chegar onde os mergulhadores não alcançam, locais em que o espaço é restrito, como tubulações e partes de navios naufragados. Por isso, auxiliam no trabalho destes profissionais, principalmente em casos que ofereçam riscos aos mergulhadores.

Mercado – Os pilotos de micro ROVs podem ser inseridos no promissor mercado de petróleo e gás, com a exploração de recursos em águas profundas e ainda na área portuária, em inspeções de cascos de navios e do cais. O profissional também pode atuar em operações de segurança, inspeção de obras de engenharia sob a água e missões de resgate subaquático.

A área carece de profissionais e, por isso, trata-se de uma atividade bastante valorizada. Um trainee pode começar recebendo um salário de até R$ 3 mil. Já quando piloto formado pode vir a ganhar mais de R$ 10 mil por mês.

Por Marcus Lotfi

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta