Codern quer exportar minério de ferro pelo Porto de Natal

1

Outro projeto da Codern, que deverá sair do papel em 2011, é a exportação de minério de ferro pelo Porto de Natal. A previsão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec) é de que o primeiro embarque do produto com destino a outro país – que ainda não foi definido – ocorrerá até o próximo mês de junho. Atualmente, a produção do estado é embarcada pelo Porto de Suape, em Pernambuco.

O Presidente da Codern, Emerson Fernandes, garante que o terminal de Natal possui todas as condições necessárias para dar início ao processo de exportação do minério. “Tenho convicção de que essa operação será um sucesso, principalmente levando em conta os cuidados que temos, para garantir que tudo transcorra da forma mais tranquila possível, como na questão ambiental”, enfatiza Fernandes.

O Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, confirma as informações repassadas pelo presidente da Codern e diz que a estrutura do porto é suficiente para que sejam embarcadas 70 mil toneladas de minério de ferro e esse volume servirá, inicialmente, como um teste. “O ideal é que possam ser embarcadas 150 mil toneladas do produto, a partir do terminal da capital potiguar. Dando tudo certo, deveremos utilizar o porto na sua capacidade máxima e iremos buscar maneiras de desenvolver novas possibilidades”, prevê.

O teste inicial para o embarque de minério de ferro deverá ocorrer ao longo do primeiro semestre deste ano. “Hoje não tem embarque de minério de ferro pelo Porto de Natal, porque não há calado suficiente. Há também outros pontos mais complexos, que prefiro não comentar neste momento”.

De acordo com o secretário, a atual prioridade da Sedec na área de mineração é realizar análises dos requerimentos feitos junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), por empresas interessadas em atuar no território potiguar. Essas petições somam hoje um total de 2,5 mil requerimentos ativos.

Com as informações – Sílvia Ribeiro Dantas / Tribuna do Norte

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta