Pré-sal aumentou significativamente as reservas da Petrobras

0

As reservas provadas da Petrobras no Brasil cresceram 8% no critério de avaliação da Sociedade dos Engenheiros de Petróleo (SPE, na sigla em inglês) e puxaram o avanço dos volumes contabilizados pela estatal. No total, a Petrobras atingiu o nível de 15,283 bilhões e Barris de Óleo Equivalente (BOE) pelo critério da SPE, sendo 12,909 bilhões de barris de óleo e condensado e 377,365 bilhões de metros cúbicos de gás natural. No ano passado, a estatal tinha 14,169 bilhões de BOE em reservas no Brasil.

Este ano foram incorporados 1,911 bilhão de BOE em reservas provadas no Brasil, o que respondeu por 96,03% do total incorporado pela Petrobras às suas reservas provadas pelo critério da SPE. Deste total, o pré-sal respondeu por 1,071 bilhão de BOE nos campos da bacia de Santos e 210 milhões de BOE no pré-sal da bacia de Santos.

No total, os campos brasileiros produziram no ano passado 797 milhões de BOE, o que levou a um aumento líquido de 1,114 bilhão de BOE nas reservas provadas das companhia. Com isso, a relação reserva produção saltou para 19,2 anos, que é o tempo que levará para que as reservas se esgotem, caso o ritmo de produção se mantenha e não seja acrescentado nenhum barril às resrvas.

Segundo o critério da Securities and Exchange Commission (SEC), as reservas provadas da Petrobras no Brasil fecharam 2010 com 12,138 bilhões de BOE, um aumento de 5%, frente aos 11,563 bilhões de BOE em 2009.

Do total de reservas provadas ao final de 2010 pelo critério da SEC, 10,380 bilhões de barris eram de óleo e condensado, com outros 279,673 bilhões de metros cúbicos de gás. A apropriação de reservas no Brasil pelo critério SEC foi de 1,372 bilhão de BOE, o que representou 93,20% do total apropriado pela companhia em 2010.

Em termos de apropriação líquida, os campos no Brasil responderam por 575 milhões de BOE, para uma produção de 797 milhões de BOE ao longo de 2010. Com isso, a relação reserva produção saltou para 15,2 anos.

Nesse critério, o pré-sal da bacia de Santos colaborou com 800 milhões de BOE para o crescimento das reservas provadas no Brasil, enquanto o pré-sal na bacia de Campos respondeu por mais 100 milhões de BOE.

A Petrobras ressaltou, em fato relevante enviado ao mercado, que as principais diferenças entre as estimativas SPE e SEC derivam da diversidade de critérios de preço para valoração do petróleo e o prazo de concessão.

Com as informações – Rafael Rosas / Valor

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta