Superporto do Açu: MPX apresenta projeto de linha de transmissão para usina

0
.
O Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) promove, nos dias 18 e 19 de janeiro, audiências públicas para discutir o processo de licenciamento ambiental da Linha de Transmissão Porto do Açu, nos municípios de São João da Barra e Campos dos Goytacazes, na região norte fluminense. A linha de transmissão levará a energia produzida na MPX Açu I, termelétrica a carvão mineral com capacidade de 2.100 MW, até a subestação de Campos.
.
Nas audiências, a MPX apresentará o projeto e seus aspectos ambientais, demonstrando sua importância e benefícios, e esclarecerá dúvidas dos participantes. O Inea dará continuidade à análise dos estudos ambientais, com o prosseguimento do processo de licenciamento.

Com 51 quilômetros de extensão, a linha de transmissão em 345 kV permitirá à usina da MPX fornecer energia à matriz energética brasileira através do Sistema Interligado Nacional (SIN). O investimento para a implantação da estrutura, que possuirá 129 torres, é de aproximadamente R$ 75 milhões.

A MPX projetou um complexo de energia com duas usinas termelétricas para a região do Superporto do Açu, com capacidade total de 5.400 MW. A MPX Açu I já possui licença de instalação. A MPX Açu II, movida a gás natural, apresentou o projeto em audiências públicas em outubro de 2010 e aguarda a conclusão do processo de licenciamento. A construção das duas usinas termelétricas e da linha de transmissão irá gerar cerca de 3.000 empregos diretos.

Sobre a MPX Energia

A MPX Energia, empresa de energia do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, é uma das principais investidoras na ampliação do parque gerador do Brasil. A empresa está construindo três projetos termelétricos a carvão mineral que totalizam 1.440 MW de capacidade instalada, com investimentos de R$ 4,2 bilhões. Do investimento total da empresa em cada um dos projetos, 30% são aplicados em modernos sistemas de controle ambiental. Equipamentos de tecnologia moderna em conformidade com os padrões estabelecidos pela legislação brasileira, BNDES e Banco Mundial, serão utilizados no processo de geração.

A estratégia da MPX é investir em sistemas integrados que incluem a exploração sustentável e comercialização de recursos naturais (carvão mineral e gás natural), logística para movimentação desses ativos, a geração e a comercialização de energia elétrica a partir dos recursos explorados ou fontes complementares, como energia solar e eólica. Além das termelétricas em fase de implantação, a companhia tem ativos minerários no Rio Grande do Sul e na Colômbia e atua na exploração de gás natural na Bacia do Parnaíba, no Maranhão. No Ceará, a MPX está finalizando a construção da primeira usina comercial de energia solar da América Latina.

Agenda:

São João da Barra
Local: Centro Integrado de Educação Pública Professora Gladys Teixeira (R. Barão de Barcelos, n° 265 – Centro)
Data: 18/01
Horário: 19h

Campos dos Goytacazes
Local: Ginásio Poliesportivo Professor Fernando Duncan – SESI/SENAI (Av. Deputado Bartolomeu Lysandro, n° 862 – Jardim Carioca)
Data: 19/01
Horário: 19h

Clipping direto – Blog Superporto do Açu

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta