Com mais uma unidade problemática, Noble vai substituir a NS 18 – Noble Muravlenko

1

A empresa Noble Corp, operadora da segunda maior frota mundial de plataformas petrolíferas, pretende substituir uma unidade problemática alugada à Petrobras, além de assumir US$ 40 milhões pelo cancelamento de um projeto de modernização.

A plataforma Noble Phoenix, que atualmente está em Brunei a serviço da Royal Dutch Shell, deve ser transferida para o Brasil ainda neste ano, a fim de substituir a Noble Muravlenko, sobre a qual existem “questões de (falta de) confiabilidade”, disse a Noble em nota na segunda-feira.

A transferência depende do aval da Shell, mas consta em um memorando de entendimento firmado entre a Noble e a Petrobras, que atualmente arrenda cinco outras plataformas de águas profundas da Noble.

Os US$ 40 milhões a serem assumidos pela Noble neste trimestre são relativos ao cancelamento do projeto de modernização da plataforma Muravlenko, que estava previsto para 2013. A empresa disse que já começou a explorar “alternativas e potenciais oportunidades” para essa plataforma.

O aluguel da Phoenix custará o mesmo que da Muravlenko: US$ 290 mil por dia, mais um bônus potencial de 15% até 2015. A plataforma estava sob contrato com a Shell até 2015, por valores diários entre US$ 340 mil e US$ 279 mil (a redução ocorreria em novembro de 2013).

Mas a Noble, com sede na Suíça, disse na segunda-feira que já assinou uma carta de intenções para um contrato de cinco anos e meio destinado a entregar uma plataforma de águas profundas recém-construída a uma subsidiária da Shell, que atualmente arrenda nove outras plataformas da Noble.

A empresa disse que o equipamento em águas ultraprofundas deve começar a operar no final de 2013, e que seu contrato seguirá as mesmas regras de um contrato recente, com valor de US$ 410 mil por dia, mais um bônus potencial de 15% por desempenho, além de uma verba de US$ 18 milhões pela mobilização e outros US$ 10 milhões pelo desempenho.

“A empresa está atualmente revendo opções recém-construídas para preencher esse contrato, e espera oferecer mais clareza no futuro”, disse a companhia.

A nova plataforma é uma das várias que entrarão no mercado nos próximos anos, num momento em que as empresas encarregadas das perfurações tentam tirar vantagem dos baixos custos de financiamento e do interesse dos estaleiros para modernizar suas frotas.

Com as informações – Reuters

Comentário do Colunista: Como diria o Daniel “Show”, que foi um dos mais conhecidos Homens de Área da Noble: “O Bagulho é doido, o processo é lento, o caô é sinistro e o sistema não funciona”. Leonid, Vallery, Mikel, Namco, Alex… Galera maneira que vai deixar saudades. No meio de tanto estrangeiro que perturba os outros, poderiam deixar os que são sangue bom.

Com o dinheiro que a Noble gastou na recuperação da Roger Eason, poderiam ter comprado um navio novo… ou mais de um…

Não ficariam na onça.

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. que pena,uma unidade dessa tenha que ir embora,la trabalhei doze anos onde fizemos muitas amizades boas,Apesar de passar por la muitas inguas,que gerenciava a unidade como fosse um patrimonio dele sozinho e nao dos funcionarios.Mais isso nao vem ao caso,so lamento pelo fato dele ter que deixar o brasil.foi a melhor unidade que trabalhei ate hoje.

Deixe uma resposta