Discovery Channel põe no ar documentário sobre Pré-Sal

0
314

As causas, efeitos e possíveis soluções para as inundações que continuam a destruir cidades inteiras na temporada de chuvas, os esforços científicos e tecnológicos para exploração de petróleo na camada pré-sal, o Brasil como um dos países que lideram as pesquisas com células-tronco: são esses os temas tratados nos três documentários inéditos que irão ao ar em fevereiro pelo Discovery Channel. Coproduzidos pela Mixer e com direção geral de Rodrigo Astiz, cada um dos documentários tem uma hora de duração e analisa essas questões em pauta no Brasil e no mundo.

Águas Mortais – Segue o rastro dos trágicos eventos que têm afetado a América Latina nos últimos anos. Com foco especial no Brasil, onde as temporadas de chuva têm se transformado em catástrofes climáticas, o documentário analisa as cenas que se repetem a cada ano.

Células-Tronco: A Chave da Regeneração – O documentário mostra os adventos que fazem das células-tronco a grande esperança para o futuro da medicina. Pesquisas e tratamentos experimentais têm ajudado a salvar vidas e a melhorar radicalmente as condições de pacientes de doenças neurológicas e cardíacas, além de casos de cegueira e diabetes. O documentário expõe o cenário fascinante e polêmico que desafia os limites do ser humano diante da vida e da morte.

O Desafio do Pré-Sal – A 300km da costa brasileira, a uma profundidade de sete mil metros e sob uma camada de sal que pode chegar a dois mil metros de espessura está a maior reserva submarina de petróleo encontrada nos últimos 10 anos.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO – SERVIÇO: ÁGUAS MORTAIS
Canal: Discovery Channel
Estreia: domingo, 6 de fevereiro, às 21h
Classificação indicativa: 12 anos

SERVIÇO: Células–Tronco: A Chave da Regeneração
Canal: Discovery Channel
Estreia: quarta-feira, 9 de fevereiro, às 21h
Classificação indicativa: 14 anos
SERVIÇO: O DESAFIO DO PRÉ-SAL
Canal: Discovery Channel
Estreia: sexta-feira, 25 de fevereiro, às 22h
Classificação indicativa: 12 anos
.
Fonte: A Crítica
.
Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta