CLC Sarah Breton, a primeira Comandante da P&O Cruises

0

Uma Comandante entrou para a História ao tornar-se a primeira mulher a comandar um Navio de Cruzeiro com destino a um país do Conselho de Cooperação do Golfo Pérsico (GCC – Gulf Cooperation Council). A Capitã de Longo Curso Sarah Breton, 45 anos, da Inglaterra, comandou o Artemis entrando no Porto Rashid, em Dubai, quebrando mais um paradigma na Marinha Mercante, e principalmente nos países árabes.

O navio, operado pela P&O Cruises e com capacidade para 1170 passageiros, fez uma escala em Dubai no último dia 23 em seu cruzeiro de Southampton / Inglaterra para Hong Kong.

Breton, a primeira mulher a ser Comandante em 173 anos de História da P&O Cruises, declarou: “O sentimento é absolutamente fantástico em ser a primeira mulher comandando um navio de cruzeiros dentro do Golfo. O terminal de transatlânticos de Dubai fica localizado em um porto encantador. Todo lugar em que você vai é diferente e desafiador. Eu estou indo visitar o Burj Khalifa hoje e eu gostaria de retornar aqui um dia para assistir à Copa do Mundo de Corridas de Cavalos. Estou muito orgulhosa em ser a primeira comandante em tantos anos de História da P&O Cruises. Tem sido realmente fantástico trabalhar com a P&O e eu tenho um ótimo suporte da empresa. Acredito que todos devem fazer o melhor que puderem para alcançar o topo de suas carreiras”.

P&O Artemis

A Comandante Breton, que começou sua carreira trabalhando em navios cargueiros, foi admitida na P&O Cruises em 1989 e trabalhou duramente para ir subindo de função até tornar-se Comandante. Ela começou no próprio Artemis como Segundo Oficial de Náutica, mesmo navio que comanda agora, há 22 anos atrás. A Oficial passou por outras embarcações, mas acabou sendo Comandante justamente da primeira que tripulou na P&O.

O Artemis está fazendo sua primeira e última atracação em Dubai, uma vez que a embarcação já foi vendida para uma empresa da Alemanha e será entregue ao novo Armador em Abril deste ano.

“Eu passei quase oito anos da minha vida neste navio. Todo dia é diferente, não há um único dia que seja o mesmo e é disso que é feito nosso trabalho a bordo. Não há nenhum marítimo em minha família, mas cresci num local com dois vizinhos que eram marítimos e eles sempre me apoiaram e incentivaram a seguir a carreira na Marinha Mercante”, disse a Comandante.

“Foi uma grande ocasião quando fui promovida a Comandante, mas eu já sabia cerca de duas semanas antes, e assim tive tempo para preparar-me. O pior de tudo é ter que guardar um segredo terrível, que era a venda a Artemis. O navio foi vendido há 16 meses para uma empresa alemã e a P&O afretou de volta, a fim de honrar nossos cruzeiros restantes. Estamos, infelizmente, em uma contagem regressiva para o dia 29 de abril. Vamos todos sentir falta deste navio, especialmente os passageiros, muitos dos quais sempre estavam conosco. Estarei passando para outro navio da P&O em Março e depois iremos fazer outro cruzeiro de fim de ano na Austrália, mas meu coração está aqui no Artemis, sem sombra de dúvidas.”

Mais um paradigma quebrado pelas mulheres que só vêm abrilhantando nossa profissão.

O capricho, dedicação e leveza das mulheres vêm fazendo com que, ano a ano, nossa Marinha Mercante fique mais bonita.

Parabéns a todas as colegas embarcadas, pois esta é uma conquista para vocês também.

Espero ver cada vez mais mulheres comandando e chefiando e as empresas dando o devido suporte e respeito a essas profissionais que já fazem parte de nossa Marinha Mercante aqui no Brasil há mais de uma década.

Vamo que vamo!

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta