Mais de 60% do total das reservas hídricas do Ceará são das bacias

0

Fortaleza. Mesmo com o grande volume de chuvas registrado durante a pré-estação, no mês de janeiro, os açudes do Ceará ainda não aumentaram o volume de forma expressiva. Segundo dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), nos 134 reservatórios monitorados, o volume total de água é de cerca de 11 bilhões de metros cúbicos, ou 60,4% da capacidade total de reserva no Estado.

“No início do ano, a capacidade estava 56,7%. Não teve um aporte tão significativo com as chuvas de janeiro, mas se o prognóstico da Funceme se concretizar, alcançaremos uma marca maior”, afirmou o assessor da presidência da Cogerh, Yuri Castro de Oliveira. Mesmo assim, segundo ele, “está bem acima da média para este período. Apenas em três anos, desde que monitoramos os açudes, se tem acumulação neste patamar. Esta é uma marca excepcional”.

Até o fechamento desta edição, somente o Açude Tijuquinha, em Baturité, sangrou. Outros já estão se aproximando da marca: o Prazeres, no Município de Barro, com 98,2% de sua capacidade; e o Quixeramobim, com 94,5% de seu volume total.

Das 11 bacias hidrográficas, a do Baixo Jaguaribe é que possui maior volume de água. O Açude Santo Antônio de Russas, em Russas, atingiu a marca de 78,8% de seu volume total, que é de 24 milhões de metros cúbicos de água. Atualmente, o açude reserva cerca de 19 milhões de m³de água.

A Bacia Hidrográfica Metropolitana, no entanto, tem o menor volume de água. Com a maior demanda hídrica do Estado, a bacia está, atualmente, com 47,7% de sua capacidade. Ao todo, são 645,9 milhões de metros cúbicos de água. O Açude Tijuquinha, de Baturité, que chegou a sangrar, ainda em janeiro, voltou a sua marca normal. Já o Açude Penedo, localizado no Município de Maranguape, opera no seu limite mínimo, com 17,6% de sua capacidade, o que representa cerca de 425 mil m³ de água.

No Alto Jaguaribe, os 18 açudes monitorados pela Cogerh totalizam a marca de 69,2% de seu volume total. O Pau Preto, açude localizado em Potengi, alcançou 81,1% de seu volume total. De 1,8 milhão de m³, o reservatório está com cerca de 1,5 milhão. Já no Açude Faé, em Quixelô, a situação é bem crítica. Atualmente, o reservatório marca 9,4% de sua capacidade total. De 24,4 milhões, somente 2,3 milhões de m³ de água estão armazenados.

Na Bacia do Médio Jaguaribe, a marca mínima foi registrada no Açude Madeiro, em Pereiro, com volume de água de 29,2% de sua capacidade. No total, são 820 mil metros cúbicos de água. Já em Solonópole, o Açude Riacho do Sangue alcançou 69,7% de sua capacidade até o momento.

Sua capacidade total é de 61 milhões de m³ de água. O reservatório dispõe de 42,8 milhões de m³ de água. É nesta bacia que se encontra o maior reservatório do Ceará, o Açude Castanhão. Com capacidade de reservar 6,7 bilhões de metros cúbicos de água, o Castanhão se encontra atualmente com 64,8% de sua capacidade preenchida. Além dos projetos de irrigação, é responsável também pelo abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza, por meio do Canal da Integração, e do Complexo Portuário e Industrial do Pecém.

Bacia do Salgado

Com um pouquinho mais de chuva, o Açude Prazeres, em Barro, pode vir à sangrar. Atualmente, compreende a marca de 98,2% de sua capacidade. Em situação bem diferente deste, no Município de Mauriti, o Açude Quixabinha opera somente com 20,8% de sua capacidade. São 6,6 milhões de 31,7 milhões de metros cúbicos de água.

O Açude Cupim, em Independência, está com volume de 3,8 milhões de m³ de água, representando 84,9% de sua capacidade total. Em Ipaporanga, o São José III está com 34,3% de sua capacidade. Ao todo, são 2,7 milhões de m³ de água.

Em Quixeramobim, o açude homônimo atingiu 94,5% de sua capacidade total. Dos 54 milhões de metros cúbicos disponíveis, o reservatório já possui 51 milhões de m³ de água. Para esta região, a expectativa é que as chuvas ocorram dentro da média histórica. Segundo prognóstico da quadra chuvosa divulgado pela Funceme, em janeiro último, as precipitações podem variar entre 507 e 655mm, de fevereiro a maio.

Na bacia do Litoral, o destaque é o Açude São Pedro Timbaúba, em Miraíma. O reservatório atingiu a marca de 94% de volume de água. No total são 18 milhões de metros cúbicos de água. Em Itapipoca, no Poço Verde, a situação é de 17,7% de sua capacidade total. Dos 12 açudes monitorados pela Cogerh na bacia do Acaraú, o Acaraú Mirim já alcançou a marca de 48 milhões de m³ de água e 92,4 de sua capacidade. Já o Taquara, em Cariré, está somente com 13,5% de sua capacidade hídrica.

A bacia do Coreaú está 49,6% de sua capacidade de armazenagem. Dos 297 milhões de m³ de água, são 147,3 atualmente. O Açude Martinópole marca 35,3% de sua capacidade, e o Diamante, 65,5%. No Vale do Curu, os açudes alcançaram 48,5% de sua capacidade. O Açude São Mateus, em Canindé, está com 64,1% de sua capacidade. Já o Desterro, em Caridade, marca 26,7%.

Volume de água

10,9 bilhões de metros cúbicos. Esta é a quantidade de metros cúbicos armazenados nos 132 açudes monitorados pela Cogerh em todo o Estado. A marca representa 60,4% da capacidade total.

Fonte: Portos e Navios

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta