Holding vai responder por ativos de sondas do pré-sal

0

A Petrobrás aprovou em reunião de diretoria ontem a criação de uma holding independente que responderá pelos ativos das novas sondas para a área do pré-sal, informam fontes. A nova empresa, que será chamada Sete Brasil, será formada pela Petrobrás (10%) e por um Fundo de Investimentos em Participações (FIP), composto por quatro fundos de pensão e dois bancos nacionais.

Segundo o presidente do fundo de previdência da Petrobrás (Petros), Luiz Carlos Afonso, o FIP será de R$ 2 bilhões, sendo que a Petros deve ficar com 20% a 25% das cotas. Para o executivo, esse é um investimento que vai de encontro ao perfil da fundação por oferecer rentabilidade garantida.

‘Esse é o tipo de investimento interessante para nós. Esse é um investimento que, no longo prazo, vira quase uma renda fixa. Você consegue ter a previsibilidade de quanto vai receber nos próximos anos’, afirmou.

De acordo com outra fonte, os fundos de pensão Previ, Funcef e Valia também irão participar do FIP. Aos fundos vão se juntar também participações acionárias do Santander e do Bradesco. Apesar da participação minoritária na nova companhia, a Petrobrás vai indicar o presidente e o diretor de operações.

Também poderá indicar um dos oito membros do conselho de administração de sua nova ‘subsidiária’, a exemplo dos demais fundos. Também segundo fontes, teriam sido convidados para assumir, respectivamente, os cargos de presidente e de diretor de Operação da Sete Brasil, José Ferraz, atual gerente de Finanças da Petrobrás, e Pedro Barusco, gerente-executivo de área de Engenharia da petroleira.

Até ontem à noite, a estatal não havia confirmado oficialmente a constituição da nova empresa sem a indicação dos executivos. Por enquanto, a Sete Brasil será criada com os ativos da primeira encomenda de sete sondas de perfuração, com capacidade para até três mil metros de profundidade. As unidades compradas serão depois alugadas à Petrobrás. A encomenda deverá ser fechada com o Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Pernambuco, que venceu o primeiro pacote da megalicitação para a contratação de até 28 unidades lançada pela estatal no ano passado.

Pelas sete sondas apresentou a proposta de US$ 4,65 bilhões.

A licitação previa a possibilidade de a Petrobrás contratar outros três pacotes a mais, com sete unidades cada, mas os preços apresentados foram considerados acima do orçamento. Segundo fontes, porém, estaria sendo discutida a alternativa de a Sete Brasil a assumir a negociação para contratação dos demais pacotes, alterando o número de unidades encomendadas em cada pacote, ou mesmo reavaliando riscos do projeto.

Na licitação das 28 unidades, em segundo lugar, depois do EAS, ficou o consórcio Alusa Galvão, que pretendia construir um estaleiro na região de Barra do Furado, no Norte Fluminense. O terceiro colocado foi o estaleiro Brasfels, de Angra dos Reis.

Fonte: Estadão

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta