Pirata Somali que sequestrou navio da Maersk em 2009 é condenado a 33 anos nos EUA

0

O pirata somali Abdiwali Abdiqadir Muse, o único sobrevivente entre os homens que atacaram o navio Maersk Alabama em Abril de 2009, foi condenado a 33 anos de prisão pela justiça norte-americana.

Muse foi capturado pela marinha dos EUA, cujos militares mataram os seus outros três companheiros que tentaram fugir com o capitão do cargueiro como refém num bote salva-vidas.

“Pus as minhas mãos em algo que era mais poderoso do que eu”, disse o pirata no tribunal federal de Nova Iorque, onde foi julgado, lamentando os atos que praticou.

A juíza Loretta Preska censurou os piratas, descrevendo-os como sádicos, por recorreram “aos atos mais depravados de violência física e psicológica”, salientando que simularam a execução do capitão Richard Phillips.

O Maersk Alabama foi sequestrado quando transportava ajuda alimentar. O primeiro pirata a entrar a bordo foi precisamente Muse.

O capitão disse à tripulação para se fechar na cabine e entregou-se aos piratas, para desviar as atenções dos restantes marinheiros.

Já com navios da marinha dos EUA e um helicóptero em perseguição dos piratas, estes decidiram passar para um bote salva-vidas, com Philips como refém.

Depois de vários dias de impasse, foi dada ordem para disparar e efetuado o resgate do capitão.

Fonte: IOL

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta