Promef: Eisa inicia construção de mais quatro navios

0

O primeiro dos quatro navios Panamax encomendados pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) começou a ser construído hoje, 18, no Estaleiro Ilha S.A. (Eisa). O início das obras, celebrado com o corte da primeira chapa de aço, representa a estreia do Eisa no Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef), que já mobiliza os estaleiros Mauá e Atlântico Sul, e prevê a compra de 49 embarcações.

No Eisa, serão construídos quatro navios do tipo Panamax, com 228 metros de comprimento e capacidade para transportar 550 mil barris de petróleo. Desde 1997, o estaleiro, um dos mais antigos do País, não construía um navio para o Sistema Petrobras.

Os dois primeiros navios encomendados ao Eisa serão lançados ao mar em 2012 e os demais, em 2013. O contrato com o estaleiro, de R$ 856 milhões, vai gerar até quatro mil empregos no pico das obras. “Quando falávamos que poderíamos voltar a construir navios, as pessoas não acreditavam. Hoje, a indústria naval brasileira renasceu e já emprega 50 mil pessoas”, declarou o presidente da Transpetro, Sergio Machado, em discurso após o corte do aço.

O presidente do Eisa, Jorge Gonçalves, lembrou que a última embarcação entregue pelo estaleiro ao Sistema Petrobras foi o navio-tanque Livramento, em 1997. Das 437 embarcações construídas pelo Eisa desde sua fundação, 100 foram encomendadas pela estatal. “Depois de 14 anos, hoje iniciamos a construção do 101º navio”, disse o executivo.

O programa de construção naval da Transpetro, um dos principais projetos estruturantes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), tem papel fundamental na retomada da indústria naval brasileira e gera hoje mais de 15 mil empregos diretos. Ao longo dos próximos anos, a expectativa é que sejam gerados, apenas com a construção de navios para a companhia, 40 mil empregos diretos e 160 mil indiretos.

Dos 49 navios previstos no Promef, que representam um investimento total de R$ 9,6 bilhões, 41 já foram contratados e oito estão em fase de licitação.

Características – O projeto de engenharia destes navios é nacional e traz novidades: as embarcações terão calado reduzido (shallow draft), que melhor atende aos portos brasileiros, e um sistema de carga capaz de armazenar quatro produtos diferentes simultaneamente, com duplo bloqueio de válvulas.

Os navios do tipo Panamax serão usados pela Transpetro no transporte de óleo cru e dos chamados produtos escuros (como o óleo combustível). Ao todo, serão utilizadas 56 mil toneladas de aço na construção dos petroleiros.

Fonte: Redação Portal Marítimo

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta