Mau tempo e fila marcam embarque de brasileiros em navio na Líbia

1
128

O navio que vai retirar 148 cidadãos brasileiros da Líbia – que vive uma revolta popular contra o ditador Muammar Gaddafi – aguarda na fila de atracamento do porto da cidade de Benghazi e não deve deixar o país antes do fim da tarde ou início da noite desta sexta-feira (25), pelo horário local, informou ao R7 a Embaixada do Brasil em Atenas, na Grécia.

A embarcação, que levará funcionários e familiares da construtora Queiroz Galvão a Atenas, também enfrenta as condições ruins do tempo na região, atingida por grandes ondas. O mar agitado e o grande número de navios em Benghazi atrasaram a partida dos brasileiros, que deveria ter acontecido na manhã desta sexta-feira.

Pessoal aguarda na fila para embarcar

Segundo fontes diplomáticas, a expectativa mais recente é que a embarcação consiga atracar durante a tarde para receber os 148 brasileiros, 48 portugueses, três espanhóis e um tunisiano que querem deixar o país africano. Se partir no início da noite, a embarcação deverá chegar a Atenas na manhã deste sábado (26).

Brasileiros fogem sem passaporte

De acordo com a Embaixada do Brasil em Atenas, o grupo que tenta deixar a Líbia está sem passaportes, uma vez que o documento fica retido com as autoridades líbias na capital, Trípoli.

Quando os brasileiros chegarem à Grécia, o setor consular da embaixada montará uma força-tarefa para providenciar uma autorização provisória de retorno ao Brasil a fim de que todos possam embarcar em voos regulares.

Ainda de acordo com informações da embaixada em Atenas, esse será o primeiro grupo de brasileiros que fogem da Líbia a chegar à Grécia.

Êxodo de estrangeiros

Muitos países intensificaram as operações de retirada de seus cidadãos da Líbia, em um verdadeiro êxodo. Desde a última segunda-feira, 30 mil tunisianos e egípcios retornaram por via terrestre a seus países.

A construtora brasileira Odebrecht também iniciou a retirada de mais de 3.000 trabalhadores da Líbia, 200 deles brasileiros. Outro grupo de funcionários da Andrade Gutierrez chegou a São Paulo nesta quinta-feira após deixar o país africano em um avião português.

Zonas de Conflito na Líbia

Outros sete funcionários brasileiros da Petrobras já deixaram a Líbia e estão em Malta. Eles foram ao país europeu no avião fretado pela Odebrecht.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, havia cerca de 600 brasileiros na Líbia, mas a maioria já deixou o país em voos comerciais no início da crise.

O regime de KQQaddafi enfrenta um isolamento cada vez maior, com críticas dos Estados Unidos, da União Europeia e dos vizinhos árabes.

Com as informações – Lucas Bessel / Portal R7

Por Rodrigo Cintra

1 COMMENT

Deixe uma resposta