Brasdril não respeita CIPA e é denunciada pelo Sindipetro-NF

9

O Sindipetro-NF sempre está ao lado dos trabalhadores da Brasdril nos momentos mais difíceis como casos de demissão arbitrária de cipistas, acidentes e questões relacionadas a segurança no trabalho. A empresa é reconhecida por práticas antissindicais em relação aos cipistas, por interferir nas cipas, por não querer referendar um Acordo Coletivo para seus trabalhadores e pelo desrespeito pelo qual os trabalhadores brasileiros são tratados pelos superiores, na maioria das vezes, estrangeiros, chegando a casos de assédio moral.

Além disso, a empresa se nega a reconhecer a representação do Sindipetro-NF e fecha os olhos para a representação de fato.

Descumprindo a legislação brasileira, que dá ao trabalhador cipista o direito de a se manter no emprego até um ano após o término de seu mandato, demitiu nove cipistas nos últimos anos . O sindicato recebeu denúncias que os estrangeiros com cargos de comando afirmam para todos que não aceitam nossas normas e impedem o trabalho dos cipistas. Isso fica claro no número de demissões realizadas pela empresa (veja box que acompanha a matéria) e na perseguição feita a cipistas e acidentados. Por conta da firme atuação do Sindipetro-NF, muitos desses casos de demissão foram revertidos:

– Reintegração deferida pelo Juiz da 2ª Vara do Trabalho de Macaé (03 de março 2010) do cipista Antonio Reginaldo Santos Felix, que depois de sofrer agressão de um colega, ser internado e não poder trabalhar, foi demitido por justa causa.

– Reintegração do Montador de Andaime, Marcio Sathler, que realizou uma operação seguindo os critérios de segurança da Brasdrill, se acidentou e quebrou a clavícula. Após alta do INSS foi demitido por justa causa. O Sindipetro-NF conseguiu sua reintegração, mas o processo continua tramitando na 2ª Vara do Trabalho de Macaé.

– Outra reintegração conquistada pelo sindicato foi de Paulo Espírito Santo, que no período de estabilidade acidentária, foi demitido com justa causa. Sua dispensa foi declarada nula, por ter sido mais uma vez caracterizado como fútil o motivo da dispensa.

O NF chegou a se reunir com o Chefe da US-SS/SC, José Luiz de Oliveira Penteado para denunciar as ações truculentas e antissindicais.

Aproximação

Como forma de manter um relacionamento mais próximo com os trabalhadores
da Brasdril, levantando suas reivindicações e dando respostas aos seus questionamentos, o Sindipetro-NF também realiza plantão em todos os seus embarques, que na maioria das vezes têm acontecido no aeroporto de Cabo Frio.

ABUSOS COMETIDOS PELA BRASDRIL:

– Dia 03 de março de 2005 – SS-54 – o cipista e Técnico de Enfermagem, André Luiz Azalim, foi demitido apór ter avaliado que um funcionário acidentado não tinha condições de trabalhar.

– Alexandre Cruz da SS-55, foi eleito para desempenhar mandato na CIPA, mas nunca foi formalmente convocado para as reuniões da Comissão, sendo alijado de todas as discussões, depois expulso da CIPA e imediatamente demitido por justa causa também. A mesma coisa aconteceu com Fábio Duarte Cabral.

– Em junho de 2009, na SS-64 (Ocean Concord),o cipista José Adeilton Mendes, questionou os métodos preventivos de segurança do chefe estrangeiro e acabou sendo assediado, exposto a uma carga de trabalho extenuante com poucas horas de sono. Acabou sendo expulso da plataforma e sendo mantido em casa sem embarques, longe do seu local de trabalho. Diante do assédio moral praticado pela BRASDRIL, se viu forçado a pedir demissão. Sem saber que a empresa apenas aguardava o fim da estabilidade de cipista para demití-lo. O trabalhador recentemente ingressou com reclamação trabalhista para requerer reintegração ou indenização pelo seu período de estabilidade, além de dano moral em virtude do assedio moral praticado.

– Na SS-52, no mês de setembro 2009, o cipista Ricardo da Silva Bispo, também após questionar procedimentos de segurança diante das irregularidades na utilização de EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual), foi transferido do seu local de trabalho e colocado por seu supervisor estrangeiro em outra plataforma. Foi demitido.

Com as informações – Sindipetro – NF

Acesse a matéria sobre Assédio Moral, publicada no Portal Marítimo, clicando aqui.

Por Rodrigo Cintra

9 COMENTÁRIOS

  1. É triste saber que a maioria das empresas, para não dizer todas as empresas offshore estão filiadas ao SINDITOB. Em quase 10 anos de offshore, nunca vi uma atitude enérgica do SINDITOB a favor ou em prol dos funcionários. Aliás, nunca vi o SINDITOB fazer nada !!!
    Hoje eu e meus colegas de trabalho estamos com alguns problemas sobre algumas questões que foram acordadas no acordo coletivo e que não estão sendo cumpridas pela empresa que trabalhamos. Por diversas vezes tentamos um contato, um apoio, uma ajuda do SINDITOB e há meses NADA, ou sejam ficamos sozinhos, desamparados, pois aquele que deveria estar ao nosso lado, brigando pelos nosso ideais, não está nem aí. É uma pena, pois somos uma classe unida, que geramos certamente uma grande quantia de contribuição ao nosso sindicato, mas estamos órfãos.
    Um caso simples foi o ultimo acordo coletivo; por diversas vezes contactamos o SINDITOB para que quando fossem feitas as negociações, que nos fossem avisado previamente, pois enviaríamos um representante dos funcionários; mas para nosso espanto, o acordo coletivo foi fechado. Antes mesmo disso, enviamos um e-mail com uma lista assinada por todos os funcionários com algumas questões e reinvidicações para serem colocadas na negociação do acordo coletivo, mas sequer recebemos uma resposta com a confirmação de recebimento do e-mail. Nós sequer soubemos como e quando foram feitas as negociações, e ao que parece, debaixo dos panos e ao apagar das luzes, ficando assim, bom, somente para um lado… lado esse que passa longe do lado dos funcionários.
    Ou seja, fica cada vez mais claro que apesar de ser um sindicato dos trabalhadores, o SINDITOB parece estar sempre do lado das empresas e pior, ignorando aqueles que “supostamente” mantém o sindicato; porém, muitas das vezes eu fico em dúvida se realmente somos nós, trabalhadores offshore, que mantemos o SINDITOB e toda sua turma.
    Pra ser sincero, eu só vejo falar do SINDITOB em setembro, no acordo coletivo, e assim mesmo, como já dito acima, depois de tudo já pronto.
    Sobre a Brasdrill, infelizmente como sabemos, somos apenas mais um número… o discurso de prestigiar e valorizar o funcionário é sempre o mesmo, dizer que o maior bem da empresa é o funcionário também, mas o que vemos na prática é completamente diferente. Desejo muito boa sorte aos companheiros da Brasdrill e a todos nós, funcionários filiados ao inoperante e estático SINDITOB.

  2. A situação na Brasdril é realmente deplorável. O que mais me intriga é que a empresa era top na Bacia e essa queda de padrão coincide com a saída de uma das melhores profissionais de RH do Petróleo e que hoje encontra-se na Jaymar, fazendo um ótimo trabalho. Foi quase que automático, ela saiu, a empresa mergulhou nesta situação. Há que se rever certas políticas e há também que se refletir sobre certas premissas básicas do petróleo pois fica bem claro que, na Brasdril, a teoria do “o que é de fora é melhor”, eterno reflexo da submissão de nosso Povo, está profundamente arraigada. Certamente muita coisa será revista, do contrário, a assinatura de contrato com a Brasdril, por parte dos profissionais será praticamente um Atestado de óbito e por parte de seus clientes será o início de problemas bastante sérios perante as Autoridades, Ministério Público e Ministério do Trabalho e Emprego. Já conheço muitos profissionais que evitam a empresa e outros que sairam mesmo, aliás, isso é fato. A debandada de funcionários da Brasdril é visível. Não adianta dar salário e não dar um tratamento digno, desviando pessoas de função e desrespeitando profissionais a bordo. Será que vale a pena trocar seu atual Ambiente de Trabalho por outro onde Assédio Moral e Acidentes são rotina? Fica aqui meu questionamento. Caso a Brasdril deseje se pronunciar, o espaço está aberto também.

  3. Boa tarde, sou funcionario da brasdril e está acontecendo comigo é o seguinte, trabalhei 11 anos em uma plataforma da brasdril e depois não conseguindo minha promoção resolvi pedir transferencia no final de 2010 e logo depois me colocaram em casa como extra para fazer embarque exporadico e agora esse mês de outubro ela veio e me descontou 14 do meu salario, alegando que tentou entrar em contato comigo e não conseguiu, eu pedi uma prova do ocorrido e foi falado para mim que não tem, mais eu tenho em meu email alguns enviado para brasdril em outubro para o dp e outros eu também tenho telegramas que eles envião p mim, eu queria saber o que pode ser feito, porque chegaram a falar que eu sou da cipa e não poderiam me mandar embora, os funcionarios da Brasdril estão a merce dos funcionarios da base e fazem o que quer e fica por isso mesmo.

  4. Parece que esse negócio de descumprir a Lei e ignorar a CIPA está virando moda para os estrangeiros.
    Na empresa NorSkan Offshore o Presidente fez a mesma coisa. Cancelou a CIPA em vigor por email e mandou demitir um cipista eleito.

  5. Boa tarde!
    Sou tecnico mecanico e atualmente trabalho na area offshore realmente tem uns gringo que se julgam primeiro mundo e melhores do que nos brasileiros que somos terceiro mundo, mais isso nao vem ao caso o problema e que esses gringos tem que respeitar muito o Brasil, alguns saem da terra deles e se julgam o tal querendo ignorar as Leis trabalhistas e descumprir os procedimentos onde eles pensam que estao? Infelizmente muitos trabalhadores brasileiros Pais de familias sao obrigados a suportar tal situaçao para nao ser demitido, e muitas das vezes serem demitidos indevidamente ja que nos temos o direito de recusa em nao concordar com aquilo que nos proporcione algum perigo na nossa funçao. Cabe aos Orgaos competentes uma fiscalizaçao e nao deixar que isso continue acontecer por alguns cretinos inescrupulosos.

  6. Acho que vocês precisam rever seus conceitos, não é EPI nem CIPA que evitam acidentes, é consciência. Um funcionário inteligente, capacitado e educado em seu trabalho não tem nada a ver com CIPA que é só mais um instrumental de penduricalho burocrático criado pela máquina podre da administração pública brasileira. ACORDEM! Ou vão afundar o Brasil em plataformas caras e inoperantes. Virem profissionais e deixem de ser encostados e mal acostumados! Abaixo a CLT CADUCA, As Leis trabalhistas BARROCAS e as regras de encargos sociais ARCAICOS. Observem, essa é a realidade em todos os setores…como se explica que a GERDAU produz MAIS e MAIS BARATO nas plantas dos EUA, e os funcionários de lá ganham melhor do que os daqui? Entenderam? Dá pra entender? Isso é o CUSTO BRASIL. E a mudança tem que começar de baixo, de nós, que precisamos parar de reclamar bobagem e agir como profissionais. CIPISTA é sinônimo de MAIS UMA INVENÇÃO BUROCRÁTICA E PROTECIONISTA DE UM CARA QUE PROVAVELMENTE NUNCA TRABALHOU PESADO E TEM ATÉ VERGONHA DE TRABALHO MANUAL, mas quer garantir seu emprego de contador ou sindicalista!

  7. Caros amigos.
    Tenho um amigo quie foi demitido da Brasdril do mesmo jeito com as mesmas lengas lengas e tem gente ai acima falando bem dizendo que nos Estados Unidos ganham melhor que aqui. Pura mentira! Morei la por 15 anos e nao tem nada disto! Os gringos estao vindo todos trabalhar aqui porque nao tem mais emprego la e tambem nao tem lei trabalhista. La e mandado embora e o seguro desemprego e uma merreca bem menor que aqui. Fora que as conpanhias aqui estrangeiras nao suportam CIPA nem direitos trabalhistas porque estao acostumados a escravisar as pessoas. Quem quiser conversar sobre a Brasdril mande um e-mail para mim poderei ter surpresas para voces, vamos nos unir contra estes sangue-sugas estrangeiros: jandira.stuart@yahoo.com

Deixe uma resposta