Piratas atacam embarcação no Pará – uma pessoa morta

1

Desespero e dor marcaram uma família de ribeirinhos oriunda do município de Limoeiro do Ajuru na Região do Baixo Tocantins, na madrugada de domingo (13). Uma quadrilha de piratas atacou a embarcação Kalebe Júnior que tinha previsão de aportar na Feira do Açaí em Belém na final da madrugada. Lourivaldo Pinheiro Gonçalves, 23 anos, foi morto a tiros.

O DIÁRIO acompanhou com exclusividade a chegada da vítima na Feira do Açaí e o esforço de uma equipe do Samu 192 na tentativa de salvar a vida do rapaz baleado. O assalto foi no Furo do Piramanha entre os municípios de Belém e Barcarena.

Os detalhes do assalto foram contados pelo comandante do barco motor Kalebe Júnior, Lourival Gonçalves, irmão da vítima. Eles saíram do município de Limoeiro do Ajuru com um carregamento de açaí que seria vendido na manhã de ontem na Feira do Açaí em Belém.

Quando passavam pelo Furo do Piramanha, às 23h, o barco foi abordado por uma “rabeta”, embarcação utilizada por piratas em ataques nos rios do Pará. “No momento os tripulantes dormiam e ao vê-los se aproximando eu fiz uma manobra brusca com o barco colocando a pique a rabeta deles”.

Ele conta que viu dois assaltantes se agarrarem na proteção do barco, mas não podia deixar a direção. Eles subiram e certamente abordaram os homens que dormiam em redes e como estava escuro houve luta corporal e disparos de arma de fogo.

Um dos tripulantes que estava rendido viu quando a vítima se agarrou com um dos assaltantes, sendo que neste momento o segundo homem armado disparou, a queima-roupa, nas costa de Lourivaldo Gonçalves que mesmo ferido ainda jogou um dos bandidos no rio.

REVOLTA

O pai do rapaz, o empresário do ramo de venda de açaí, Irineu Gonçalves estava desesperado e criticava as autoridades quanto à segurança nos rios do Pará. “Nos barqueiros não podemos andar armados, mas os bandidos podem e se acham no direito de nós matar”, gritava Irineu agarrado ao corpo de filho.

Imediatamente lanchas da Polícia Fluvial de Barcarena e Belém, zarparam para o local na tentativa de identificar e prender os assassinos que segundo o major Braga certamente são oriundos dos bairros da Pratinha e Icoaraci que aproveitam a passagem de embarcações nestes furos para assaltar.

Dezenas de amigos do rapaz assassinado estiveram na Feira do Açaí até a chegada do carro de remoção do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. O caso foi repassado à Delegacia Fluvial sob o comando do delegado Davi Nóbrega que vai investigar o crime.

APOIO

O assalto ganhou repercussão entre os donos de embarcações que navegam pelos rios do Pará principalmente os próximos à capital do Estado. Eles pretendem se reunir com a Capitania dos Portos e com o Governo do Estado para solicitar apoio de combate à criminalidade que além de prejuízos tem tirado a vida de pessoas que trabalham para o crescimento do Pará.

Com as informações – Diário do Pará

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Lamentável o que anda acontecendo em nossos rios e na costa brasileira.
    Peço que me ajuda a divulgar a Irmandade dos Mares.
    Estamos no facebook,esperamos por vcs.
    Nossa luta é por PAZ em nossas aguas.

    Bons Ventos.

    Sandra Brack

Deixe uma resposta