Pará – Sespa divulga resultados preliminares da vistoria do navio Veendam

0

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou, nesta segunda-feira, 28, o resultado preliminar da vistoria feita no navio “MS. Veendam”, realizada em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no último domingo, enquanto a embarcação estava fundeada no Distrito de Icoaraci.

A suspeita inicial é de Norovírus, um vírus transmitido por água e alimentos contaminados, importante causador de gastroenterites não bacterianas no Brasil. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa e afeta principalmente indivíduos adultos. Essa espécie de vírus é especialmente associada a surtos em locais confinados ou de contato próximo, como numa mesma família, em navios, asilos e ambientes hospitalares, por exemplo.

Foram coletadas amostras apenas dos três pacientes que ainda apresentavam sintomas e está em andamento a análise dos dados dos questionários dos doentes e dos sadios para estudos de caráter epidemiológico.

Os técnicos da Anvisa e da Sespa fizeram diversas recomendações à tripulação para evitar novos casos da doença, como orientação aos passageiros via sistema interno de rádio; conscientização dos tripulantes sobre a importância da higienização para quebra da cadeia de transmissão; uso de álcool gel e utilização de lenços de peróxido de hidrogênio a 0.5% para limpeza dos computadores, terminais de ponto dos funcionários e limpeza dos equipamentos usados na academia, entre outros, visto que o produto tem poder de eliminar o norovírus e é recomendado pela Anvisa.

A tripulação também foi orientada a disponibilizar coletores e swab retal para coleta de novos casos, se detectado, e a manter higienização permanente nos locais onde funcionários que apresentaram sintomas da doença estiveram. Além disso, a Anvisa afastou do trabalho seis manipuladores de alimentos por apresentarem problemas de saúde e foram solicitados resultados das amostras de água e material biológico coletadas em outros Estados para complementar a investigação.

A descida dos pacientes em Belém teve análise técnica respaldada pela legislação da Anvisa, Regulamento Sanitário Internacional e pela portaria de doença de notificação compulsória; permanecendo isolados em suas cabines apenas os pacientes que ainda apresentavam sintomas da doença, devendo ser liberados após 48 horas do ultimo sintoma apresentado.

A notificação da situação no navio havia sido feita na tarde da última sexta-feira, 25, pela Coordenação Regional da Anvisa ao Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (CIEVS) da Sespa. Os primeiros casos haviam sido detectados em Recife, onde houve coleta de amostras de água, material de manipuladores de alimentos e de alguns doentes. Ainda não há resultado dessas amostras.

Com as informações – Roberta Vilanova – Ascom/Sespa

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta