OGX anuncia mudança corporativa

2

A OGX Petróleo e Gás Participações S.A., empresa brasileira de óleo e gás natural responsável pela maior campanha exploratória privada no Brasil, comunica a seus acionistas e ao mercado em geral que Eduardo Fidelis Lucchesi passa a ocupar a Gerência de Relações com Investidores da OGX no lugar de Luiz Antonio Whitaker Garcia.

De acordo com a nota da empresa, Luiz Garcia deixa a Gerência de Relações com Investidores da OGX após três anos e passará a fazer parte do recém criado Departamento de Comercialização da OGX. Com a estruturação dessa área, sob a liderança de Joaquim Dib Cohen, profissional com mais de 30 anos de experiência em trading de petróleo, a Companhia dá mais um passo importante em direção à comercialização da sua produção.

Eduardo Lucchesi é engenheiro de Produção Mecânica formado pela Escola de Engenharia Mauá e ingressou em 2010 na OGX na área de Finanças Corporativas. Anteriormente, atuou por mais de sete anos no mercado financeiro, sendo a maior parte no Banco Itaú BBA, onde trabalhou na área de Investment Banking e participou dos IPOs das empresas MPX, OGX e OSX.

Essa mudança evidencia o aproveitamento interno de talentos, pilares da política de desenvolvimento e treinamento do Grupo EBX.

Com as informações – Portal Fator Brasil

Por Rodrigo Cintra

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma prova de que educação é a chave para o futuro de um país é que, mesmo que o Brasil tenha (e tinha na época) a Petrobás para gerar empregos e renda aos cidadãos, o país sempre deixou a desejar investimentos em educação para a nação. Por exemplo: Eike Batista saiu do Brasil e estudou Engenharia Metalúrgica na Alemanha (Aashen). Quando voltou implementou a primeira planta aurífera aluvial mecanizada na Amazônia nos anos 80.. O governo prefere comprar a educação e saúde do povo por cestas básicas e bolsa familia (muito aceita pelos eleitores famintos por feijão e totalmente desinteressados com o futuro e sem sede alguma de conhecimento!)

    • Prezado Elias
      Educação é tudo, mas o Povo em geral prefere o “Pão e Circo” e os famosos “Salvadores da Pátria”. Nosso problema é cultural e por mais que meia dúzia reme a favor, teremos milhares ou milhões remando contra. Num país onde a Educação Pública está cada vez pior e onde a iniciativa privada bombardeada por uma alta carga tributária (que não se reflete em infraestrutura de um modo geral), impedindo maiores investimentos em treinamento e qualificação de pessoal, é cada vez mais paradoxal ouvirmos falar em desenvolvimento REALMENTE sustentável (meio ambiente e sociedade). Obrigado por sua participação.

Deixe uma resposta