Espírito Santo – Mais fornecedores capixabas para a Petrobras

0

Em visita ao Estado, o Presidente da Petrobrás,  José Sérgio Gabrielli chamou à atenção dos empresários capixabas para a oportunidade de serem fornecedores de bens e serviços da compahia. Ele participou da Reunião Estratégica para Desenvolvimento da Cadeia Nacional de Fornecedores de Bens e Serviços, na manhã desta segunda-feira (04) no Palácio Anchieta.

No encontro o governador Renato Casagrande (PSB) anunciou que sua meta é aumentar o número de empresas capixabas fornecedoras da Petrobras. “O Governo do Estado vai articular, junto com os demais parceiros, como a Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) e outras entidades do setor produtivo, aliado à Unidade de Operações da Petrobras no nosso Estado, uma ação integrada que potencialize a participação das empresas capixabas nos negócios da estatal”, destacou.

A ideia é que a Findes promova a competitividade dos empresários. A reunião faz parte de uma Campanha Nacional, que objetiva estimular uma maior articulação e intensidade do empresariado. Durante o discurso, Gabrielli ressaltou o crescimento que a Petrobrás terá nos próximos anos, o que trará novas perspectivas. “Nos próximos dez anos, a Petrobras irá dobrar de tamanho, e até 2015, vamos precisar de 30 a 40 plataformas do tipo FPSO (sigla em inglês que significa plataforma que produz, processa, armazena e escoa petróleo). Então, as oportunidades também aumentarão”, ressaltou.

De acordo com o Governador Renato Casagrande (PSB) a presença de Gabrielli serviu para reforçar e articular ações integradas que potencializem as empresas capixabas com as ações da Petrobrás. O presidente, por sua vez, adiantou que não só as empresas diretamente ligadas a produção de petróleo e gás poderão estar conectadas. “Empresas que fornecem marmitas, e empresas de parafuso também colaborarão com a cadeia”.

Dentre as principais iniciativas da Petrobrás que possam atrair o empresariado, será a implantação do Pólo Gás Químico, em Linhares. O projeto está em fase de desapropiamento da área. O outro é a interligação dos pólos de Cacimba e Parque das Baleias, onde serão investidos R$ 800mi dólares.

Além disso, a futura implantação do Porto de Ubu prevista para 2013, e as plataformas P57 e P58 são trunfos para o Estado. A plataforma P57 já opera desde dezembro de 2010, estima-se que ela produzirá cerca de 165 mil barris de petróleo/dia. No entanto ela ainda não foi inaugurada. O Governador aproveitou a oportunidade para negociar a festividade com Gabrielli.

Casagrande pediu ao Presidente que ele articulasse a vinda da Presidente Dilma Rousseff ao Estado para a inauguração. Gabrielli foi infático. “Precisamos estudar a agenda”, declarou. Já a P58 está prevista para começar a operar em 2014.

Além do pedido de inauguração da P57, o Governador fez outras exigências:  Segundo ele o Estado tem 18 unidades de escolas técnicas e uma grande universidade. “Quando senador, no governo de Paulo Hartung cheguei a discutir a criação de um Centro de Pesquisa da Petrobrás aqui. É preciso investir em tecnologia, para que haja uma interação maior”, propós.

Casagrande também lembrou que há cinco anos não se faz pesquisa de exploração de petróleo e gás. “Nossa região tem que participar dessa pespectiva, em mar e em terra”, declarou.

Durante o encontro, Gabrielli anunciou cinco novas refinarias para o país, localizadas em: Pernambuco, Rio Grande do Norte, Maranhão, Rio de Janeiro e Ceará. Questionado sobre uma possível implantação no Estado,  o presidente afirmou não ser necessário nesse momento.

“Nosso processo de refino é nacional. Temos no Brasil hoje 11 refinarias, teremos um crescimento em torno de 3 a 4% até 2020. O foco nesse momento é o norte e o nordeste. Entendemos que as quatro de São Paulo, e as duas do RJ, junto com a rede de oleoduto sejam suficientes para atender o mercado do Espírito Santo”, declarou.

Atualmente o Espírito santo produz 350 mil barris de petróleo/dia. Desse total 280 mil são provenientes da Petrobrás e o restante de demais empresas. Esse número representa 18% da produção nacional. A intenção da Gabrielli é que até 2020 essa produção dobre.

Até 2014 a Petrobrás investirá R$ 224 bilhões de dólares, o Estado ficará com uma fatia de R$15.6 bilhões. Esse valor será para compras de bens e serviços. Noventa e cinco por centro serão de produtos de dentro do Brasil e 65% de empresas nacionais.

Com as informações – ES Hoje

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta