Jurong se pronuncia sobre o MPF

1

O Estaleiro Jurong Aracruz vê a atitude do Ministério Público Federal com muito respeito, pois o órgão está exercendo seus direitos constitucionais, esgotando todos os meios legais de um processo que teve início em maio de 2010, cujos julgamentos, até então, vêm conferindo à empresa o direito de prosseguir investindo no desenvolvimento do Estado do Espírito Santo.

A empresa ainda não foi informada oficialmente e assim que receber a intimação da justiça, remeterá à sua assessoria jurídica para a tomada das providências cabíveis.

O Estaleiro Jurong Aracruz afirma ainda que recebe a notícia com tranqüilidade, uma vez que vem cumprindo todas as determinações dos órgãos ambientais e atendendo às reivindicações das comunidades que estão no entorno do empreendimento, nas quais já se encontra integrado e mantendo um diálogo constante.

Atualmente estamos trabalhando para cumprir uma série de condicionantes ambientais e sociais que representam mais benefícios à região do que os impactos da construção do Estaleiro. Dessa forma, temos a certeza de que o projeto do Estaleiro Jurong Aracruz representa um grande avanço para a região de Aracruz e para o Estado do Espírito Santo.

Por Redação Portal Marítimo

1 COMENTÁRIO

  1. Eu acho que o MPF deveria se preocupar com outras coisas, ao inves de estar tentando bloquear um empreendimento deste que so trara beneficio, emprego e renda para nossa população, eles estão no ar condicionado so no bem bom, porque querem prejudicar a população?, eles teriam que estar dando graças a DEUS por ter uma empresa que quer se instalar aqui para gerar empregos e acabar um pouco com a falta de trabalho de nossos municipes, acho que eles tem que procurar alguma coisa para fazer, ou sera que eles querem que o estaleiro va para Linhares, ja viram a quantidade de empresas que se instalam em Linhares, imagino que la ninguem quer ficar desempregado, inclusive o MPF, todos devem se preocupar com a falta de emprego e não porque vai matar uma meia duzia de formiguinhas, as plantinhas serão plantadas em outro lugar, vamos presevar sim mas por causa disto gerar desemprego! por favor, não! Esse pessoal ai que esta tentando de todas as formas barrar este empreendimento, deveria ir para o Amazonas para barrar o desmatamento la, eh! mais para o meio da floresta ninguem quer ir não!

Deixe uma resposta