Rapidinhas da tarde

0

Maersk fechando contrato com a marinha dos estados Unidos, HRT preparando exploração na Namíbia e Conselho Diretor do Fundo de Marinha Mercante (FMM) reunido para analisar diversos projetos. As Rapidinhas chegam nesta tarde com um pouco de cada coisa e anunciando que vem aí o novo Portal Marítimo. Aguardem. Vamo que vamo!

Maersk vai operar navios da U.S. Navy – A Maersk Line, Ltd., subsidiária da companhia marítima Maersk Line, ganhou um contrato para operação e e manutenção de dois navios da Marinha Norte Americana que são parte do U.S. Navy Military Sealift Command’s (MSC), uma frota mercante sob responsabilidade da Marinha de Guerra americana. Em nota, a empresa informou que fornecerá à Marinha dos Estados Unidos suporte operacional e técnico em terra e no mar, assim como equipamentos e ferramentas necessários para a navegação. A companhia também oferecerá suporte para as operações de transporte de carga militar. Os navios são o USNS WHEAT e o USNS STOCKHAM. Não é a primeira vez que isso acontece. Em 1983, a empresa pegou um contratp semelhante e operou alguns navios por 25 anos. O período de vigência do contrato deve ser até 2015, se todas as opções previstas foram aceitas. O valor, segundo informações, deve exceder os US$ 66 milhões.

Reunião do FMM – Foi marcada para o dia 12 de maio a próxima reunião do Conselho Diretor do Fundo de Marinha Mercante (FMM). Cerca de 160 projetos aguardam o aval do conselho para ter acesso ao financiamento do fundo, que não se reunia desde dezembro de 2009. Entre os projetos a serem analisados, está a construção dos estaleiros da OSX no Porto do Açu, em São João da Barra (RJ) e da Galvão Alusa em Barra do Furado, Quissamã (RJ). A extensão do prazo de validade da prioridade para o estaleiro Rio Grande (RS) também será avaliada. A carteira total dos pedidos é da ordem de R$ 14 bilhões. O recurso é repassado através do BNDES, Caixa e Banco do Brasil. O total liberado pelo Fundo nos últimos oito anos alcança R$ 17 bilhões.

HRT começa sísmica na Namíbia – A HRT iniciou a aquisição de 1.232 km² de sísmica 3D no bloco offshore 2813A, na Bacia de Orange, Namíbia. A coleta está sendo feita pelo navio Samur, da Polarcus, em paralelo à aquisição de 1.428 km² nos blocos adjacentes e offshore 2713A e 2713B operados pela UNX, recém-comprada pela petroleira brasileira. O bloco 2813A fica em lâmina d´água entre 1.500 m e 2.500 m, na bacia sedimentar de Orange. A área é parte de uma Licença de Exploração de Petróleo – LEP mais ampla que inclui os Blocos contíguos 2814B e 2914A, e abrange uma área de 15.382 km² (3.800.960acres). O programa antecipa o compromisso exploratório mínimo de 500 km² de sísmica 3D prevista para maio de 2014 no bloco onde a HRT detém 40% de participação exploratória. A HRT Oil & Gas prevê perfurar quatro poços na Namíbia em 2012. O investimento previsto PE de US$ 269 milhões no próximo ano.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta