Itaqui recebe carga de cimento para obras estaduais

0

O Porto do Itaqui, no Maranhão, começará a receber cargas regulares de cimento vindas do exterior. Na manhã dessa segunda-feira (16), a construtora Camargo Corrêa recebeu no terminal portuário maranhense o seu primeiro carregamento de15 mil toneladas de cimento, fabricados em Portugal. Este volume servirá para abastecer suas obras no estado.

O cimento veio a bordo do navio Saga Pioneer, bandeira de Hongkong, que atracou no berço 102 do Itaqui. Com 199m de comprimento, nove metros de calado e 46 mil toneladas de deslocamento, esta embarcação trouxe o terceiro carregamento do produto que chega ao Itaqui este ano e quarto desde que a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) passou a gerir porto.

Saga Pioneer – cargas de cimento para as obras no Maranhão

Ao todo, em 2011, já chegaram cerca 61 mil toneladas de cimento e a previsão para 2011 é que outras 60 mil toneladas do insumo cheguem ao porto maranhense, vindos de países como Turquia e Portugal. O primeiro desembarque de cimento foi em dezembro do ano passado, quando o navio Atacama, que descarregou em solo maranhense 23 mil toneladas do produto.

Para o Assessor de Operações da Emap, Rafael Vasconcelos, a nova rota de entrada de cimento poderá reduzir o custo das obras no estado. “O revendedor poderá comprar direto da remessa que chegou ao porto, sem precisar de um intermediário, e isso deverá ter um efeito positivo ao baixar os custos”, disse Rafael.

Em junho,está prevista a chegada de um outro navio com 23 mil toneladas de cimento e a previsão de especialistas da área é que provavelmente teremos um navio por mês, escoando cimento para o Maranhão. Algumas empresas já contam com um depósito grande o suficiente para estocar o cimento, mas outras ainda precisam construir um ou aumentar a capacidade da estrutura para poder suportar a grande demanda.

Comentário do Colunista – Ainda há quem duvide da importância do transporte marítimo para um país como o Brasil

Com as informações – NE10

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta