Edison Chouest anuncia novos projetos

0

O Grupo Edison Chouest Offshore (ECO), que representa o conglomerado mais diversificado e dinâmico no transporte marítimo offshore  a nível mundial, anunciou planos para projetar e construir oito novos barcos de apoio à plataformas de águas ultraprofundas (PSVs).

Já estabelecida como líder no segmento, a Edison Chouest tem hoje em seu portifólio de embarcações próprias ou então operadas por ela unidades do tipo high capacity platform supply, fast supply, anchor handling, construction, tractor tug, well stimulation e barcos especiais em todo o mundo. Além disso, a ECO é armadora e opera uma das maiores frotas de navios de apoio ROV no mundo, através de sua afiliada, a C-Innovation.

“Desde 2003, o foco no nosso novo programa de construção tem sido um série de 42 suppliers de nova geração, com 4,750 TPB e cerca de 85 metros cada um”. Declarou o Vice Presidente de Operações da Edison Chouest, o senhor  Dino Chouest.  “Nossa próxima geração inclui 13 embarcações com 5150 TPB e 91 metros”. Esse grupo de embarcações já está em construção; as duas primeiras já estão indo para a prova de mar e sendo preparadas para a entrega.

Chouest informou que três dos oito novos PSVs estão ainda no início de construção. A ECO no momento está construindo, em dois de seus estaleiros na Louisiania, o casco e a superestrutura (casario) de um AHTS para regiões com gelo, com 110 metros de comprimento, cuja previsão de entrega está para 2012 para a Shell, no Alaska.

A ECO anunciou recentemente que o grupo de oito navios, além de um total de 25 outras novas unidades da ECO e seus afiliados, já está em construção em estaleiros dos EUA, Brasil e Polônia. A Chouest afirma que o novo grupo de embarcações está em construção nas filiais norte-americanas North American Shipbuilding  (Larose, LA), La Ship (Houma, LA) e Tampa Ship (Tampa, FL), serão entregues dentro dos próximos 12-36 meses.

Um considerável número de embarcações da ECO está agora empregado em projetos fora dos EUA, após o incidente com a Deepwater Horizon. “Nossa intenção é continuar a substituir os ativos e as necessidades futuras para o Mercado dos EUA protegido pelo Jones Act”, declarou Chouest. “Nosso objetivo é manter nossa posição como fornecedor de soluções de destaque no mercado, tanto nacional como internacional”.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta