TWB demite Comandante que não aceitou navegar com embarcação sucateada

1

Confirmando o que o JORNAL DA MÍDIA já tinha antecipado, a concessionária paulista TWB está promovendo uma verdadeira caça às bruxas. Depois que empregados da empresa começaram a denunciar o atraso de salários, o não recolhimento do FGTS e a falta de cumprimento de outras obrigações trabalhistas, a TWB começou a demitir. Somente esta semana foram mais de cinco demissões.

A mais recente foi a do comandante do navio “Pinheiro” e a justficativa encontrada pela empresa não poderia ser mais vergonhosa: o comandante teria se recusado a trafegar com o “Pinheiro” devido aos inúmeros problemas técnicos da embarbarcação. O comandante justificou que o navio está com sérios e vários problemas, com apenas um motor funcionando bem e que isso poderia causar um acidente grave, principalmente na hora da manobra de atracação.

Mas a TWB demitiu o comandante e exigiu que outro navegasse com o “Pinheiro”, que está em estado deplorável – completamente enferrujado e fazendo a travessia entre Salvador e Bom Despacho em 1 hora e 30 minutos.

Só Para Lembrar – O comandante demitido é aquele mesmo que conseguiu evitar um acidente que poderia ser muito mais grave, quando o “Pinheiro” se aproximava para atracar em Bom Despacho, no dia 15 de abril. O ferry apresentou uma pane no compressor de ar, que comprometeu o sistema de frenagem, segundo comunicado oficial, no dia do acidente, da TWB.

Quando percebeu que o “Pinheiro” poderia bater forte contra o atracadouro, o comandante conseguiu manobrar em direção à praia de Búzios, bem ao lado do terminal, e encalhou o ferry, que transportava 370 pessoas e 39 veículos. Os passageiros foram retirados da embarcação por catraias, canoas e por uma lancha da travessia Salvador-Mar Grande, a “Gil IV”.

O mais interessante é que o agora demitido comandante do “Pinheiro” foi muito elogiado no dia do acidente pala TWB. Confira o que diz um trecho da nota oficial da concessionária no dia do acidente com o “Pinheiro”:

“A TWB Bahia louva a perícia e a iniciativa do comandante, de optar pela manobra e encalhar o navio. Esta medida foi providencial para evitar colisão da embarcação no terminal, tendo em vista que este tipo de avaria pode aumentar a velocidade da embarcação”.

Pois é. Esta é a TWB. Agora que o comandante levou à empresa que o navio não oferece segurança para transportar vidas humanas, a concessionária optou pela demissão. O caos na TWB continua instalado e o governo Wagner segue omisso e colocando a vida das pessoas em risco. A Agerba nada diz mais e não toma qualquer providência para evitar que o pior aconteça. A incompetência é generalizada – da empresa e do órgão fiscalizador, que nada nada fiscaliza.

Com as informações – Jornal A Mídia

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Ola sou de SP,e essa TWB,e uma pirangueira de marca maior,eu era funcionario de uma das empresas do grupo a op mariner,de um dia para o outro eles mandaram embora mais de 85%dos funcionarios antigos,e promoveram companheiros que nao estavam preparados para assumir o comando das embarcaçoes,foi uma lastimaem todo o estado de sao paulofoi um caos ,nas palestras da MARINHA os instrutores sempre dizem que a responsabilidade cabe ao mestre/comandante ,porem sabemos que nao e bem assim que funciona pois se vc se recusa a arriscar a vida das pessoas o resultado e esse demissao,e agora?quem pode ajudar um pai de familia?aTWB deveria e levar um baita de um processo,e o unico idioma que ELES entendem!!!!!! parabens Rodrigo pelo blog nota 10…

Deixe uma resposta