Petrobras lança licitação milionária para mais 21 sondas

0

A Petrobras decidiu lançar uma bilionária licitação para contratar a construção de 21 sondas de perfuração no Brasil, disse nesta sexta-feira o Presidente da estatal, José Sergio Gabrielli.

Segundo ele, a medida aprovada pela diretoria da Petrobras na noite de quinta-feira representa a retomada do processo de licitação para a campanha de exploração na região do pré-sal.

Gabrielli, que participou nesta sexta-feira da cerimônia de batismo da plataforma P-56, revelou em discurso que o edital da disputa em breve estará publicado.

“Estamos lançando na rua a licitação”, disse ele, ao lado da Presidente Dilma Rousseff, que participou de seu primeiro evento público da estatal.

Dilma e Gabrielli deixaram o local sem falar com jornalistas.

A previsão é de que as propostas para a construção das sondas sejam recebidas em setembro pela empresa, que ainda está dando os últimos retoques no novo edital que será divulgado provavelmente na próxima semana.

O prazo entre o edital e a proposta será de 90 dias.

“Em breve vai para a rua, é uma nova licitação, estamos desenhando as condições”, explicou uma fonte da empresa próxima ao assunto pedindo anonimato.

As 21 sondas, cuja construção deverá movimentar bilhões de dólares, integram um pacote de 28 sondas lançado inicialmente pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de impulsionar a indústria naval brasileira, visando atender à demanda crescente gerada pela exploração do pré-sal, nos próximos anos.

A Petrobras já licitou sete sondas do total, em disputa vencida pelo Estaleiro Atlântico Sul. A encomenda das sete sondas recebida pelo EAS, integrado por Camargo Corrêa, Queiroz Galvão e a sul-coreana Samsung Heavy Industries, está avaliada em 4,637 bilhões de dólares.

MODIFICAÇÕES NA LICITAÇÃO

Entre as eventuais modificações no processo licitatório para a construção das 21 sondas está a inclusão da possibilidade de entrada das empresas perfuradoras, permitindo assim a participação da Sete Brasil –companhia na qual a Petrobras detém uma fatia de 10 por cento e que será responsável pela administração da construção de 28 novas sondas da estatal.

A Sete Brasil foi criada com o objetivo de reduzir custos no processo.

A Petrobras lançou no ano passado licitação para o afretamento de 28 sondas para profundidades de 3 mil metros, mas conseguiu fechar contrato para apenas sete com o Estaleiro Atlântico Sul, em contrato sob a responsabilidade da Sete Brasil.

A nova licitação tentará contratar todas as 21 unidades de uma única vez, segundo fonte próxima ao assunto.

A primeira unidade deverá ser entregue 48 meses após a assinatura do contrato.

P-56

Segundo a Petrobras, a P-56, batizada nesta sexta-feira, é uma unidade do tipo semissubmersível e ficará ancorada em local onde a profundidade é de 1.670 metros, interligada a 21 poços.

A plataforma, que operará no Módulo 3 de desenvolvimento do Campo de Marlim Sul, localizado na Bacia de Campos, tem capacidade de produzir 100 mil barris de petróleo e comprimir 6 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

A P-56 é idêntica à plataforma P-51, considerada pela Petrobras um marco na indústria naval brasileira, “uma vez que consolida a capacidade do país de construir plataformas”.

Com as informações – Denise Luna / Reuters

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta