Pelotas agora também tem petróleo

4

A Bacia Pelotas e os Desafios do Petróleo são tema do painel a ser promovido pelos deputados Fernando e Miriam Marroni (PT) na sexta, 10. O evento será realizado nas Câmaras Municipais do Rio Grande e de Pelotas, às 10h e às 15h, respectivamente. Diante dos recentes anúncios de que a produção de petróleo no País deverá quase triplicar até 2020, o Diretor-Financeiro-Administrativo da Refap, Vicente Rauber, abordará a situação do petróleo no mundo, no Brasil e, principalmente, no Estado.

A perfuração dos poços na Bacia Pelotas será explicada pelo gerente-geral de exploração das bacias da costa sul da Petrobras, Jeferson Luiz Dias. Já o Gerente de construção e montagem de plataformas, José Luís Rodrigues da Cunha, explorará a construção e reforma de plataformas em Rio Grande.

Esse painel trata-se do desdobramento do encontro realizado em novembro do ano passado, quando Miriam e Marroni se reuniram com o Diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro. Na ocasião, Estrella apresentou o estudo que apontava a possibilidade de existência de petróleo no litoral gaúcho, entre os municípios de São José do Norte e Tavares.

No final de maio, Estrella apresentou ao Governador Tarso Genro (PT) o projeto da Petrobras de prospecção de petróleo na Bacia de Pelotas e confirmou que a estatal deve começar a perfurar o primeiro dos três poços até o final deste ano. “Este encontro serviu para aproximar o Governo estadual do projeto da Petrobras e mobilizar a comunidade da região em torno deste tema que pode mudar para sempre o perfil da Metade Sul”, comentou Marroni.

Conforme Estrella, o trabalho de prospecção deverá custar entre 60 e 80 milhões de dólares, o que representa 80% do valor já investido pela empresa em pesquisa na Bacia Pelotas desde 2004. O governador confirmou que o Estado estuda a criação de um centro de tecnologia para apoiar empresas envolvidas com a cadeia de produção de petróleo offshore (mar aberto).

Com as informações – Jornal Agora

Por Rodrigo Cintra

4 COMENTÁRIOS

  1. Na Bacia de Pelotas, a possível ocorrência de petróleo, gás e amônia deve acontecer no Depocentro de Rio Grande, uma área a aproximadamente 230 km em linha reta aos molhes do porto de Rio Grande. O destino do petróleo ainda é incerto, porém o gás e a amônia teriam como destino o porto da cidade de Rio Grande, já que lá está sendo implantado a UTE Rio Grande, que usará o gás, e um gasoduto, levando gás até o Polo Petroquímico de Triunfo e Porto Alegre/Canoas.

Deixe uma resposta