ABNT publica norma para instalações elétricas navais

1

A indústria de petróleo já pode contar com mais uma Norma Brasileira. Foi publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) a ABNT NBR IEC 61892-6:2011 – Unidades marítimas fixas e móveis – Instalações elétricas – Parte 6: Instalação, que contém disposições relativas às instalações elétricas em unidades fixas e móveis, usadas na indústria marítima de petróleo, com a finalidade de perfuração, produção, processamento e armazenamento, incluindo oleodutos e gasodutos, estações de bombeamento, estações de lançamento ou recebimento de “pigs”, estações de compressão e monoboias de ancoragem.

Esta é a sexta parte da série ABNT NBR IEC 61892, um conjunto de normas elaboradas originalmente na Comissão Eletrotécnica Internacional (International Electrotechnical Commission – IEC) e adotadas pelo Brasil. São destinadas a garantir segurança no projeto, seleção, instalação, manutenção e uso de equipamentos elétricos de geração, acumulação, distribuição e utilização de energia elétrica para todos os fins em unidades marítimas aplicadas na prospecção e exploração de reservas petrolíferas.

O coordenador da Comissão de Estudo de Instalações Elétricas de Unidades Marítimas Móveis e Fixas (CE 03:018.01) do Comitê Brasileiro de Eletricidade (ABNT/CB-03), Roberval Bulgarelli, informa que a nova norma incorpora e coordena regulamentações existentes e oferece um código de interpretação de requisitos da International Maritime Organization (IMO), a agência da Organização das Nações Unidas responsável por assuntos referentes à segurança da navegação e à prevenção da poluição marítima causada por navios.

“Esta norma é um guia para futuras regulamentações que possam ser elaboradas e uma declaração de práticas para proprietários, construtores de unidades marítimas e organizações relacionadas”, observa Bulgarelli, que é consultor técnico da Petrobras. Segundo ele, o documento baseia-se em equipamentos e práticas que são de uso corrente, mas não tem como objetivo impedir o desenvolvimento de técnicas novas ou aprimoradas. “O objetivo final foi produzir um conjunto de normas destinado exclusivamente à indústria marítima de petróleo”, reitera o coordenador.

A ABNT NBR IEC 61892-6:2010 é aplicável a todas as instalações, sejam elas permanentes, temporárias, transportáveis ou portáteis, até 35.000 Vca, inclusive, e até 750 Vcc, inclusive. Entretanto, não é aplicável a instalações elétricas em salas utilizadas para finalidades médicas ou em navios-tanques.

São os seguintes os tópicos da norma: Prefácio Nacional; Introdução; Escopo; Referências normativas; Termos e definições; Aterramento e ligação de equipamentos; Cabos e fiação; Geradores e motores; Transformadores; Conjuntos de manobra e controle; Conversores a semicondutores; Acumuladores; Luminárias; Aparelhos de cozinha e aquecimento; Traceamento e aquecimento de superfície; Controle e instrumentação; Comunicação; Proteção contra descargas atmosféricas; Ensaio de comissionamento da instalação; e, Documentação.

Há ainda o Anexo A (informativo), sobre Ensaio de desempenho, com se seguintes especificações: Conjunto de manobra; Gerador; Motor; Circuitos; Sistemas de comunicação e alarme; Requisitos legais; Interferências; Acumuladores; e Ventilação das instalações de acumuladores.

Atuação internacional – A Comissão de Estudo responsável pela nova norma atua dentro do Subcomitê de Equipamentos e Instalações em Atmosferas Explosivas do ABNT/CB-03. Seus membros acompanharam o processo de atualização, comentários, revisão e aprovação da Norma Internacional da IEC, elaborada pelo TC-18 – Electrical installations of ships and of mobile and fixed offshore units, do qual o Brasil é membro “P” (Participante).

Para a elaboração da Norma Brasileira, publicada no dia 24 de maio, a Comissão de Estudo contou com a participação de profissionais envolvidos com equipamentos e instalações offshore, representantes das seguintes empresas: Eletro – Estudos Engenharia; Petrobras, Proyelco e Schneider Electric.

A nova norma complementa a ABNT NBR IEC 61892-1: Requisitos e condições gerais, publicada abril de 2006, e a ABNT NBR IEC 61892-2: Projeto de sistemas elétricos, publicada em novembro de 2009.

Agora a Comissão de Estudo trabalha na elaboração da Norma Brasileira ABNT NBR IEC 61892-7 – Unidades marítimas fixas e móveis – Instalações elétricas – Parte 7: Áreas classificadas.

Foro Nacional – A ABNT é o Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação em 28 de setembro de 1940 e confirmado pelo governo federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela publicação das Normas Brasileiras (NBR), elaboradas por seus Comitês Brasileiros (ABNT/CB), Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS) ou Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE). Os comitês são organizados numa base setorial, por área de conhecimento, ou para tratar de temas de normalização que interessem a diversos setores, como é o caso da Qualidade, da Gestão Ambiental e da Responsabilidade Social. Atualmente, a ABNT reúne 160 comitês técnicos e mantém um acervo com cerca de dez mil normas.

Com as informações – Fator Brasil

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Fico surpreso com ABNT em tomar uma atitude de se manifestar em decidir a se atualizar publicando uma norma naval de instalaçoes elétricas internas para embarçoes porque a quantidade de embarcaçoes que estao sendo construidas em todos os estaleiros do Brasil é uma demanda suficiente para termos uma norma nossa mesmo porque teriamos condicoes de mantermos mais fornecedores nacionais para competir com os de fora e dismistificar as instalaçoes eletrica navais em relação as intalações industrial porque os principios sao os mesmos, a fisica, a matematica e a quimica nao mudam somente seria necessário que agregasse o fotor segurança. Porem, o paradigma criado é que instaçoes eletricas naval está dentro de redoma especial que poucos dominam e com isso se cria uma distancia das instalaçoes industriais e predial resultando em procedimentos totalmente pragmaticos que tenho exemplos absurdos que não tem correspondencia com a criaçao de um conceito de engenaria. É preciso que ocorra melhora nos cursos superior de engenharia naval na cadeira de instalaçoes elétrica porque hoje programa ensinado e muito fraco onde o docente nao consegue conceber nada do que uma instalaçao elétrica em embarcaçao e por partes dos armadores que solicitam construçao de novas frotas e tipos diversos ficam a merce de informaçoes terroristas sobre setor elétrico e por parte das classificadoras criam conceitos pragmaticos criando seus proprios conceitos na maioria das vezes com isso ficamos a merce de normas chinesas e koreanas e outras e muito importante que ABNT divulgue esta norma porem crie mecanismo de fácil acesso.

Deixe uma resposta