ANP cheia de pressa para vender nosso petróleo

1

Curiosíssima a ânsia do presidente da ANP, Haroldo Lima, em lançar logo o edital para uma nova rodada de concessões de áreas de exploração de petróleo no Brasil.

É assunto do qual já tratamos aqui.

Não dá para entender, num momento em que as descobertas se sucedem e que nossa capacidade de explorar o petróleo, bem como nossa capacidade de refiná-lo – através da Petrobras  estão “no talo” que a pressa em entregar novas áreas de prospecção esteja deixando angustiados os dirigentes da ANP, cujo mandato se encerra em dezembro deste ano.

Em entrevista à Reuters, o Presidente Haroldo Lima chega a insinuar que é a Presidenta Dilma Rousseff a responsável pela “demora”:

“Ele disse desconhecer o motivo do atraso, mas afirmou que “ouviu dizer” que a presidente teria pedido para ler com minúcia todo o material do leilão e “estaria muito ocupada”.

Mas então a presidenta não deveria estudar minuciosamente uma decisão como essa? E ela não é uma pessoa muito ocupada?

Certamente há as melhores intenções técnicas da diretoria da ANP em realizar o leilão – que ocorre meses após a publicação do edital – antes do encerramento do seu mandatoPorque a explicação que ele dá, de que “o final do ano já não é tão bom para o leilão”,  só pode ter sido provocada por isso, uma vez que não é possível imaginar que grandes empresas petrolíferas não possam participar de um leilão nesta época por estarem envolvidas com a compra de presentes de Natal”.

E depois, o Presidente da ANP sabe que esta tarefa é complexa, tanto que, só para começar, timidamente, a cumprir as medidas urgentes determinadas pela presidenta para regular o mercado de etanol, a sua agência levou dois meses, só para colocar em audiência pública, dois genéricos projetos de resolução para o setor, de alcance extremamente limitado.

O petróleo que está nas áreas que seriam licitadas está lá, não vai fugir nem desvalorizar. O dinheiro  da população  que se vai com os abusos no preço do etanol, ao contrário, vai e não volta.

Então,  pressa por que? A Petrobras terá de fazer das tripas, coração – e talvez até comprometer investimentos já em curso – para não deixar que as multis peguem a maioria das áreas que vão a leilão.

Não há problema em que se faça o leilão no final do ano, embora o melhor fosse não fazer e esperar o desenvolvimento dos atuais campos, onde está aparecendo petróleo a rodo. Mas a Petrobras, mesmo se for no final  do ano, vai cumprir o seu papel e lutar para arrematar boa parte dos blocos. Em matéria de presente de Natal, esse é o melhor: o petróleo ser dos brasileiros.

Com as informações – Tijolaço / Blog do Brizola Neto

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Tudo que esta no subsolo do Brasil, pertence aos brasileiros. Seja a Petrobras ou outra empresa a explorar, ou produzir. O governo, tem que ter competencia, para saber aplicar muito bem, e onde, os impostos arrecadados dessas empresas, para o bem da populaçao.

Deixe uma resposta