Edifício da Petrobras em São Paulo ganha certificação verde

0

O Condomínio Comendador Yerchanik Kissajikian (CYK), localizado na Avenida Paulista, 901, em São Paulo, conquistou a certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED – O&M) para edificações existentes. Desde 2004 a Petrobras foi transferida para o local e atualmente a Companhia ocupa uma área de 16 mil m² do edifício.

Trata-se da primeira certificação Green Building de operação e manutenção conquistada no Brasil e tem o propósito de auxiliar proprietários e administradores condominiais a realizarem melhorias e manutenção em uma escala consistente, a fim de melhorar as condições de salubridade aos ocupantes, maximizar a eficiência operacional e minimizar impactos ambientais.

Em evento realizado na tarde do dia 08 de julho (sexta-feira), em São Paulo, o Gerente Geral dos Serviços Compartilhados Regional São Paulo – Sul da Petrobras, Orlando Simões de Almeida, lembrou que a certificação Green Building está alinhada com as diretrizes da Companhia – que tem suas atividades pautadas pela preocupação com o meio ambiente e com a sociedade.

Segundo Almeida, “a certificação reforça os valores e ações já desenvolvidos pela Petrobras. É importante ainda uma mudança de cultura e engajamento da força de trabalho da Companhia para o uso racional da energia e água e combate ao desperdício. Temos realizado campanhas internas para os cerca de 1600 trabalhadores do Sistema Petrobras lotados neste edifício reforçando estas questões”, afirmou o gerente geral.

Com a obtenção do LEED no nível certificado foi necessária o aprimoramento de uma série de procedimentos como, por exemplo, a criação de critérios de seleção – ao longo dos últimos dois anos – para contratação de novos fornecedores para a aquisição de produtos sustentáveis de uso regular.

Para aprimorar a eficiência energética do condomínio foi realizada a automação da iluminação dos andares, troca da iluminação das garagens, além de substituição de sensores de temperatura de retorno de ar, entre outras medidas que, em última análise, têm resultado ainda em menores custos operacionais.

Com relação ao uso racional de água, foi efetuada a troca dos metais e louças sanitários por modelos mais econômicos (dual flush), com a previsão de redução de 30% no consumo nos sanitários. No paisagismo houve uma queda de 75% no consumo de água potável para irrigação. O atendimento aos requisitos relativos à limpeza verde ocasionou mudanças como a instalação de barreiras de contenção de poeira nas entradas, procedimentos de limpeza de pisos e carpetes, colaborando para a qualidade do ar interno e minimizando problemas de saúde, por exemplo. Outra medida importante em estudo é o desenvolvimento de programa de incentivo ao uso de transportes alternativos, com a instalação de bicicletário com vestiário e a criação de vagas especiais para veículos carona.

O gerenciamento de resíduos sólidos também foi aprimorado e 100% dos materiais de consumo regular estão sendo destinados corretamente, além da existência de programa para reciclagem de pilhas e baterias.

O Secretário Municipal do Verde e Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Jorge Sobrinho, esteve presente ao evento e lembrou os enormes desafios para as empresas e sociedade em equilibrar o desenvolvimento econômico, social e ambiental. Segundo ele, “a sustentabilidade necessita de ações práticas, de mudança na forma de viver, se relacionar e consumir. Iniciativas com esta são um modelo, importantes para a cidade de São Paulo e esperamos que possam ser replicadas”, ressaltou o secretário.

Com as informações – Portal Fator Brasil

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta