Petrobras vai abrir mais um concurso esse ano e vai aceitar tecnólogos

1

A Petrobras deverá abrir um segundo concurso neste ano. A informação é do Gerente de Gestão do Efetivo de Recursos Humanos da companhia, Lairton Correa. “O nosso planejamento prevê dois processos seletivos por ano, em média. Por isso, há possibilidade de haver outro concurso este ano, o que depende das análises das demandas que vêm de cada área. Isso está ligado aos projetos da empresa”, diz ele.

De acordo com Correa, a necessidade de novas contratações é associada às novas descobertas do pré-sal, à reposição de pessoas que saem da empresa e à abertura de novas unidades, principalmente refinarias.

Na última terça-feira (12), a empresa abriu as inscrições do primeiro processo seletivo do ano, que oferece 590 vagas. É o primeiro concurso da Petrobras a aceitar inscrições de tecnólogos, para 28 vagas em três cargos.

O novo concurso da estatal tem cargos de nível médio e superior. Os salários variam de R$ 1.801,37 a R$ 6.217,19. Além do salário-base, a empresa oferece participação nos lucros, previdência complementar, benefícios educacionais para filhos de empregados (da creche ao ensino médio) e plano de saúde (médico, odontológico, psicoterápico e benefício farmácia).

O processo seletivo aberto este ano, segundo Correa, prioriza as áreas de abastecimento, onde estão as refinarias, e as de exploração e produção. São 24 cargos de nível médio e 21 de nível superior.

Onde são aceitos tecnólogos

Para o cargo de Analista de Sistemas – Engenharia de Software, Infraestrutura e Processos de Negócio – são aceitos candidatos com cursos superiores de tecnologia, os chamados tecnólogos.

De acordo com Correa, foi feita uma nova análise no conteúdo da formação em processamento de dados e a empresa decidiu pela aceitação dos tecnólogos para esses cargos. “Havia uma demanda muito grande na empresa [para o cargo] e vimos que a formação do mercado estava mais próxima à necessidade que a gente tem hoje. Nós fazemos análises constantes dos cargos vendo a formação oferecida no mercado”, diz.

Questionado se outras análises estão sendo feitas para aceitação de tecnólogos em outros cargos, o Gerente afirmou que, por enquanto, não.

Mão de obra especializada

De acordo com Correa, ao entrar na empresa a maior parte dos profissionais passa por uma formação complementar porque o mercado não oferece a mão de obra especializada que a Petrobras precisa. No caso dos cargos de nível médio e técnico, os profissionais fazem um curso na própria unidade onde irão trabalhar. Os que irão atuar em cargos de nível superior fazem a universidade que fica dentro da Petrobras. “São 2 mil alunos que frequentam a universidade da empresa por dia”, diz Correa.

“Esse programa de formação oferece atividades que eles vão desenvolver na Petrobras. Eles fazem o curso como empregados da companhia e têm obrigatoriedade de cumprir carga horária e de obter a nota mínima exigida. Caso não cumpram esses requisitos, são eliminados”, diz.

De acordo com Correa, o período dos cursos varia de quatro a 11 meses, dependendo do cargo. Os cargos que têm curso com maior período de duração são de engenheiro de petróleo, geólogo e geofísico. Já os aprovados em cargos que não têm necessidade de programa de formação são submetidos a apenas uma ambientação de uma semana para conhecer a empresa.

No edital lançado na última sexta-feira, há a lista de cargos que deverão passar pelo programa de formação de empregados.

Cargos com maior demanda

Correa diz ainda que os cargos com maior demanda de vagas na empresa são engenheiros (equipamentos, petróleo, processamento e naval), geólogos, geofísicos (todos de nível superior), técnicos de manutenção e de operação (que exigem formações técnicas). “O principal foco é na linha de engenharia e de técnico de nível médio”, diz.

A previsão de que aproximadamente 6 mil novos empregados serão contratados até 2013 por meio de concursos, fornecida por Correa em entrevista ao G1 em novembro de 2010, ainda é a mesma. A empresa tem atualmente cerca de 58 mil funcionários – em 2013 projeta chegar a 64 mil.

Concurso anterior

Em relação ao concurso anterior, cujo edital foi lançado em dezembro de 2010, prevendo 839 vagas, estão previstas 2 mil admissões para este semestre. Segundo o gerente de RH, os aprovados já estão sendo convocados. Foram 340 mil inscritos. “Normalmente o número de convocados aumenta, e não diminui, pois são feitas análises constantes em relação à demanda, aposentadorias e saídas”, diz.

De acordo com Correa, a Petrobras pode convocar até dez vezes o número de vagas publicado no edital.

Com as informações – G1

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta