Projeto de FPSO consegue novos sócios

1

O consórcio para construção do FPSO Cidade de Paraty, que será instalado no projeto piloto do prospecto de Lula Nordeste, na antiga área do bloco BM-S-11, no cluster do pré-sal da Bacia de Santos, ganhou novos sócios. Além de SBM Offshore e Queiroz Galvão, que haviam assinado carta de intenção com a Petrobras em maio do ano passado para a construção da unidade, a Nippon Yusen Kabushiki Kaisha (NYK) e a Itochu Corporation, ambas japonesas, agora fazem parte do negócio. 

O contrato para a construção e afretamento da unidade foi assinado entre a joint venture e a Petrobras. A SBM Offshore continuará sendo a majoritária da joint venture, que vai construir e operar a plataforma, com 50,5% de participação. A Queiroz Galvão Óleo e Gás terá participação de 20% e NYK e Itochu serão minoritárias com participação de 17,5% e 12%, respectivamente. 

A obra de conversão do casco do FPSO será feita no Keppel Fels, em Cingapura, e a embarcação deve ser entregue em 34 meses.  Lula Nordeste fica a 265 km da costa e em lâmina d’água de 2.130 metros, a 18 km do poço descobridor de Lula. O FPSO terá capacidade de 150 mil bpd de óleo leve e 5 milhões de m3/dia de gás.

Toda a parte de montagem e integração dos módulos será executada no Brasfels, em Angra dos Reis. O consórcio construtor já adquiriu os turbogeradores e turbocompressores da unidade e estão adiantados com o projeto de engenharia.

O campo de Lula é operado pela Petrobras (65%), em parceria com a BG (25%) e a Petrogal Brasil/Galp Energia (10%).

Com as informações – Energia Hoje

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta