Sapura apresentou melhor proposta dos lançadores de linhas para a Petrobras

0

A SapuraCrest Petroleum da Malásia apresentou a melhor proposta comercial para o afretamento de seis embarcações do tipo PLSV para lançamento de linhas flexíveis para a Petrobras. A empresa, que participou da concorrência com o nome de TL Offshore, superou as propostas da Subsea 7, McDermott e o consórcio Technip/Odebrecht.

A Sapura obteve a melhor classificação em cinco dos seis lotes licitados. Os lotes correspondem à contratação de navios de 550 t, 300 t e 200 t, sendo três lotes para o aluguel de uma unidade e três para o aluguel de duas.

Nos lotes para a contratação dos PLSVs de 300 t e 200 t, com obrigatoriedade de construção no Brasil, a Sapura saiu na frente tanto nos lotes para uma unidade, como nos lotes de duas unidades. A empresa apresentou proposta sozinha para todos os lotes, exceto no lote para uma unidade de 300 t, que tem a Technip/Odebrecht na segunda posição e a McDermott na terceira.

Nos produtos para o afretamento do PLSV de 550 t, a Sapura ficou melhor colocada no lote para duas unidades; seguida pela Technip/Odebrecht, em segundo lugar; e a Subsea 7, em terceiro. Já a Subsea 7 lidera a classificação para o lote de uma unidade, seguida pela Sapura em segundo lugar e a Technip/Odebrecht em terceiro.

Os contratos de afretamento são de cinco anos, renováveis pelo mesmo período. O prazo para a construção das embarcações é de 36 meses para a primeira unidade e 42 meses para a segunda. Pela regra da licitação, uma empresa não poderá construir mais de três embarcações. A Sapura ofereceu o estaleiro Eisa para a construção das embarcações no Brasil, enquanto a Technip/Odebrecht, o STX.

As unidades de 200 t e 300 t foram especificadas para lançamento em lâmina d’água de até 2000 metros, enquanto os de 550 t, que são destinados ao pré-sal, são especificados para operação em até 2.500 metros de lâmina d’água.

Com as informações – Energia Hoje

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta