Curto e sensato – Precisamos de mais gente para a Marinha Mercante

8

A falta de uma consciência nacional do que representa economicamente o mar para o país reflete consideravelmente na cabotagem. Além do elevado custo operacional do navio brasileiro e da carga tributária sob transporte de cabotagem, o setor, atualmente, carece de tripulantes. No Brasil, há apenas duas escolas marítimas – CIAGA e CIABA – que formam cerca de 250 oficiais por ano.

O crescimento da indústria do petróleo, principalmente nas atividades de navegação de apoio marítimo, influenciado pela descoberta do Pré-sal, entre outras demandas por oficiais de náutica e de máquinas, tem desequilibrado o contingente de tripulantes, gerando sérios problemas para o transporte aquaviário, com maior ênfase na cabotagem.

Para que seja possível atingir o objetivo de melhorar a cadeia logística no País, é indispensável uma ação conjunta entre os setores público e privado, investimentos governamentais para ampliação da formação de pessoas e a adoção de um planejamento estratégico e de políticas públicas com medidas objetivas, que corrijam as distorções existentes e que priorizem a cabotagem.

Por Alan Cruz / Voice Comunicação

8 COMENTÁRIOS

  1. O colega Alan foi curto e sensato. Enquanto gente do próprio setor acha que a solução é escancarar as portas de vez, ele toca no ponto correto, que passa por investimentos em formação, qualificação e infraestrutura. O caminho é esse mesmo.

  2. dentro desse ponto de vista concordo plenamente com esse portal..o qual tem sido…a minha lição diaria…posto que quando desembarcado nao passo um dia sem verificar as notícias..porém,vejo que há pessoas no meio marítimo que querem que as coisas continuem assim….como estão….tenho visto a cada dia….estrangeiros tomando espaços no mercado de trabalho…é o que é pior na maioria dos casos….muitos nem seguer tem formação na área….o que muito me indigna com a DPC….posto que parece que nao estão…fazendo seus deveres de casa….a maioria dos estrangeiros que tenho trabalhado….tem todas as formações menos a necessária…tipo contador,administrador,nutricão.até dentista…já tive como chemaq…..é eu que venho lutando….com essa turma…tento fazer minha inscrição no ACOM…desse ano é nao sou classificado…pois faltou 6 mese…para completar o meu tempo de embargue…que no início do ano….ou melhor no início da inscrição era 3 aa….logo que fecha as incrições….vem uma portaria da capitania reduzindo o tempo para 2aa…assim é a vida do marítimo…assim são as coisas…talvez por essas é outras decisões…..que a cada dia ficamos….mais indignados…..é mais tristes com nosso país….eles(os que tem o poder nas mãos de decidir o que querem quando querem,pois já vi gente fazer o ACOM sem nunca ter embarcado.)podem tudo é os que trabalham….embarcados como eu…é outros que pagam os impostos para que companheiros marítimos possam estudar no ciaga…ou mesmo no ciaba….não tem tempo de conhecer essas pessoas influentes que decidem tudo….já passei por muita coisa nessa minha vida…já esperei 14 aa para embarcar….nunca desistir sou brasileiro…mais tem uma hora…que você começa….pensar se vale a pena ser certo neste país….
    ANTONIO/NETO

  3. dinheiro tem, nao temos uma boa administração sobre as verbas .poderiarmos ter mais um ciaba e mais um ciaga , tem muita gente que ser interessa , mas ainda há pouca vaga e o limite de idade tambem impata demais ,com isso muitos seguem outros rumos , e os que estão dentro do mercado Mercante saem quando já tem um bom “pé de meia”.há possibilidade para Adaptação para Oficiais ,através do curso do ASon e Ason , mas tambem muito nao duram , pois tem gente que nao nasceu para ser Maritimo ,temos que entemder são (N) Fatores que chegamos ao ponto de Ausência principalmente de Oficiais , Enquanto há (N) Moços de Convés e Maquinas querendo um embarque ,mas muito já não consegue o tão sonhado embarque ,Mas temos todos os Anos ,joganto a “Mingua “,esses Brasileiros , e quem gente que quer escancarar as portas de vez, temos que ter planejamento , pois os Gringos estao aí , lá fora é totalmente diferente ,pois eles já “nascem Embarcado “, desde os 14 anos , ja estao viajando e ser aperfeiçoando nos Navios seja o de Leme ou os mais sofisticados .

  4. como CTR ainda não tive a oportunidade de embarque!
    O BRASIL tem que vestir a camisa pois a soberania nacional está ameaçada de ser utilizada por pessoas estrangeiras, que invadindo o Brasil, irá navegar na cabotagem nacional. que pena!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Não concordo quando dizem que faltam marítimos, estive recentemente no ciaga e num curto período (9 meses) vi formar mais de 120 oficiais de máquinas entre ASOM e ACOM, agora o que percebo é uma forte corrente de armadores nacionais e maioria internacionais exercendo uma forte pressão, para que o governo libere a entrada de estrangeiros pra tomar o nosso lugar a bordo , usando o pré-sal como argumento. Agora é mole vir trabalhar no Brasil pois os países de origem da maioria desses armadores estão quebrando e enxergam nosso país como um porto seguro pra manter seus lucros. Mas alguém tem diser a eles que se querem ganhar dimdim aqui terão que contratar aqui.E o SINDMAR tem que parar de fingir que nada acontece e assumir seu papel , dando respostas convicentes e defendendo nossa categoria, pois afinal ele existe pra isso.

  6. Caro Delson, faço minha as suas palavras.
    Na calada, a Petrobras já criou a sua “faculdade” para formar ASONs e ASOMs. Pouca gente sabe disso.
    Eu escuto muito bla-bla-bla dos armadores, mas não escuto ninguém falar em melhorar os salários e as condições de trabalho, para tornar o mercado mais atrativo e diminuir as evasões. Na verdade o que eles querem é achatar os nossos salários e jogar no lixo todas as conquistas dos últimos anos. Ser um profissional do mar não é pra qualquer um. As empresas multinacionais já enxergaram isso e estão oferecendo melhores salários do que as brasileiras. Quanto a nossa formação pelo CIAGA e CIABA, ela está muito defasada da realidade atual. Como esses centros sofrem pressão da TRANSPETRO, não existe na sua estrutura de ensino, uma preparação para o mercado de OFFSHORE, que hoje significa 90% da Marinha Mercante brasileira. Como esse mercado (offshore) paga melhor e tem um regime de repouso de 28 x 28, os oficiais recém formados se sentem mais atraídos por ele. Enquanto que as empresas de cabotagem, que foram praticamente extintas no governo FHC, se mantém ainda no século passado.
    Então, vamos deixar de estórias e vamos encarar a realidade do mercado. Trabalho tem. Profissionais também. Paguem bem que ninguém foge. E não precisam trazer ninguém de fora, por que nós damos conta do recado. E ainda digo mais, os profissionais brasileiros são muito mais capazes e criativos do que quaisquer outros.

  7. é de muito se pensar como funciona….essa nossa marinha mercante..depois de tentar a todo custo participar do ACOM desse ano…..não conseguindo exito….devido até agora….não sei explicar….recebo a informaçao de amigos…condutores como eu que lá estão…os quais eu,me propus a ajudá-los,pois tenho observado que a maioria dos problemas dos amigos condutores é eletricistas que tenho, quando veem fazer o curso….são devido há tempo sem estudarem…é veem com isso a esquecer algumas formulas…eu como fui é ainda sou professor de matématica…nas horas vagas…o que tem muito aumentado a minha renda…..venho com essas formulas na cabeça…isso vem a ajuda-los….no curso…um desses amigo que muito me ensinou na prática do dia a dia de condutor,quando trabalhamos juntos….torcia para que estivesse nessa turma para poder ajuda-lo….a fim de ser oficial para que assim possamos,a cada a dia tormarmos o territorio que um dia foi nosso é hoje vemos..nosso espaço diminuindo a cada dia….me informar que a turma não foi completar…….sobrando vaga….tento ir a DPC….para assim quem sabe falar com o então DR diocelio….que se me lembro bem é da minha época que cheguei no ciaga….junto com ele…hoje por meritos dele…é reconhecido OSM..tentando assim quem sabe…pedir que interceda por mim…pois vaga existi o que não existi é vontade de ajudar……sou recebido por ele que me informar que nao se lembra de mim.. é me diz que esse assunto é um problema de interesse só meu…vejo agora que a grande dificuldade do maritimo é o conhecimento de pessoas influentes do meio…..os quais mandam e desmandam…..mais como conhecer essas pessoas se estamos trabalhando no mar…para que essas pessoas possam dar suas aulas no ciaga….ANTONIO/NETO

Deixe uma resposta